terça-feira, 12 de agosto de 2014

Atualizando

Então...

Eu sempre ouvia que depois que eu fizesse 15 anos a vida iria andar tão rápido que eu não ia ter tempo de fazer tudo aquilo a que me propusesse. Isso faz muito tempo... Eu já fiz mais 15 anos, e depois desses "mais 15" ainda fiz mais 2... e realmente as coisas andam numa velocidade incrível. 

As vezes eu tenho a sensação que o futuro está acontecendo, mas a gente só se dá conta quando algo de muito importante acontece. Senti isso quando uma das minhas melhores amigas me disse que estava grávida, a Raquel, e depois quando a vi chorando de medo e emoção com sua linda filhinha Rebeca nos braços, pedindo a Deus que saísse leite do peito pra poder alimentar a mineirinha!

Esses dias eu estava apenas planejando fazer o cabelo com tranças uma vez que terei dois casamentos e uma viagem neste mês. Quando nem percebi, já aconteceu: trancei o cabelo; e a Karla, minha amiga/vizinha, se casou estes dias ne casamento caipira cheio de simplicidade e repleto de afeto, em sua casa, na companhia dos amigos, e onde eu tive o privilégio de cantar. Uma delícia de casamento. Como o traje era caipira, eu fui assim:




No final do mês vou até Brasília fazer três coisas importantes:
  1. eu e Renato vamos ao casamento da Fabi, minha filha-amiga japa giganta linda, que carinhosamente me chama de mãe;
  2. Vamos ver o Samuel, filhote dos meus amigos Kissu e Tiago, que nasceu agora no início do mês de agosto;
  3. além disso, voltaremos dirigindo meu carro (Glórias a Deus!). Sim, meu carro está lá há 2 anos e só agora virá definitivamente para a minha vida. Sem mais.

No Moça Prosa, bem... aí temos algumas alterações. Pra quem não nos acompanha desde o início, nós éramos 11 meninas, depois entrou a Maria Luisa pra tocar violão, mas não ficou nem um mês. Enfim... apesar dos nossos esforços, perdemos algumas meninas ao longo do tempo. Algumas perdas me deixaram realmente mexida, como a saída da Renata. Hoje somos apenas seis meninas: Eu, Fabi, Nina, Lu, Ana Pri e Dani. Honestamente, acho que se todas estas se dedicarem a um instrumento ou mais a gente pode muito bem segurar a roda de samba. Mas as outras fazem falta. No entanto, na nossa última roda de samba aconteceu algo muito bacana: o Cleber Augusto, compositor, músico e um dos ex-integrantes do Grupo Fundo de Quintal, apareceu na nossa roda de samba. Nem preciso dizer que todo mundo ficou muito feliz, como no dia que recebemos a visita do Marcos Diniz. Tenho certeza que isso deu um super gás, nos animou e nos motivou a continuar fazendo nosso trabalho. Aqui uma foto do Cleber Augusto com o Moça Prosa (na foto falta a Fabi que neste dia não foi à roda pois estava viajando de férias):



Outro evento do qual participei que me deixou muito motivada a continuar estudando e trabalhando minhas inclinações musicais foi a ida com o namoradão no espetáculo Ópera do Malandro, no Theatro Municipal. Um evento pra ficar na minha memória pra sempre! Quem quiser ver o filme, dá o play aí:





O futuro chega a cada segundo, e vira o hoje, que em segundos vira passado. A vida é tão curta e tão rara... não é mesmo?

Beijos!

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...