quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Faxina no coração

Dei uma vassourada nos meus sentimentos. Pedi perdão, me arrependi. Perdoei e liberei. Me desfiz de velhos interesses, medi e pesei novos interesses. Agora estou pensando no conceito de submissão. Aceito isso de todo meu coração, mas agora tô pensando aqui nesta pergunta:

"Me submeter a quê? Me submeter a quem?"

  1. Não mais me submeter a aquilo que sei que me faz mal, incluindo lugares, pessoas, compromissos, hábitos, auto-sabotagem, pensamentos e atitudes;
  2. Me submeter sim ao que seja mais importante e mais inteligente do que eu eu. Me submeto aos meus planos, aos meus projetos pessoais, aos meus pais, ao meu Deus!
Não sei se existe remédio que cure os males do tal "amor líquido". Mas tô disposta a ficar só com o amor de Deus enquanto for necessário. Nunca curti a tal "pegação". Já fiz muita merda nessa vida. Já sofri e já fiz sofrer. Chega disso. Sei que está chegando a hora de amar de verdade, nem que seja ME amar de verdade.

____________________________________________________________________

Novidades:

  1. Passagens compradas para passar um tempinho de férias em Manaus com meus pais, mas antes disso serei feliz sozinha, na Páscoa, conhecendo a famosa Floripa!
Abril, chegue logo!


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Pessoa rara... eu sei que você está chegando!







Pessoa Rara
Ivan Lins

Essa estonteante maravilha
essa pessoa rara
pode estar diante de nossa cara
ou estar então milhas e milhas
como se fosse ilha, distante, difícil de atingi-la

ah, como somos cegos e insensíveis
por descrença, indiferença tão visíveis
que chegamos mesmo a ignorar, tão meigo olhar

dessa estonteante maravilha
essa pessoa rara
que está bem diante de nossa cara
luz intensa que brilha que brilha,
feito farol de milha
que venceu o breu que envolvia
que venceu o breu que resistia
e que eu, só eu, é que não via.

____________________________________________________


Sou fã eterna do Ivan Lins!

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...