Sem título


A gente foi adiante
Além de brilho no olhar
A nossa pele ditou
Em que idioma falar
E quando a língua complicou
Deixamos silenciar
Porque a pele é que soube
Em que idioma falar

Conhecer e se deixar
Ser conhecido
Acordou meu coração
Adormecido
Eu já sei
Um dia a vida nos diz
Que aquilo que nos deixa feliz
Navega distante em outros mares
Aroma suave de outros lares
Palavra que não se bendiz
Sorriso que não nos comove mais
Canções que já não trazem paz
Memórias se tornam hostis

O teu sorriso sincero
me disse sim de uma vez
minha risada honesta
sentenciou um talvez
um encontro de terra e mar
foi uma rima clichê
Nó, colisão do instinto
Que ninguém pôde prever.




Ainda está faltando alguma coisa neste texto, e eu não sei o que é mas resolvi publicar mesmo assim. Ontem enterrei uma história que nasceu dia 06 de março de 2012. Foi melhor assim.

Por aqui, tudo em paz.

Post editado em 15/08/2012 as 22h18. E ainda falta alguma coisa. :(

Beijos!

Comentários