terça-feira, 15 de maio de 2012

Eu, ela e tantas outras.

Foi perdendo a inocência
junto aos sonhos espalhados pelo caminho.

Foi perdendo os sonhos
junto às noites onde procurava carinho.

Foi perdendo as noites
junto às promessas de amor e ninho.

Foi perdendo o amor,
no copo de tantas mãos,
na cama de tanta solidão.

Foi se perdendo
mas, suavemente, volta pelo caminho.

Foi reencontrando a si mesma
nos braços do Pai.

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...