Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

Beth wants to be a superwoman...

Imagem
Pensando seriamente, eu sou, de longe, a garota mais confusa que eu conheço. Pensando bem, e falando a verdade, de perto eu também sou a pessoa mais confusa que eu conheço porque existe uma distância enorme entre aquilo que eu digo e aquilo que eu vivo e aquilo que eu quero quando o assunto é amor.

Fico ostentando essa postura de mulher independente, prática e resolvida, aquela que sabe bem o que quer (e deixa claro que não quer ninguém), que não se apega a ninguém, que não liga pra homem algum, que é a "fodona" porque virou o homem da própria vida e da própria relação consigo mesma: ganha e goza do próprio suor (com o perdão do trocadilho), troca botijão de gás, passa veda-rosca nas pias e ainda vai para a rua cheirosa e depilada para a batalha, a fim de enfrentar a briga pelo pão e pelo prazer.

O problema é quando a Superwoman aqui chega em casa, vinda do suor do dia e da noite, e sente vontade e falta de ter alguém pra conversar, para dividir a cama, a mesa, as risadas, a…

Ninguém

Sinto-me perto de ti enquanto escuto distraída graves e agudos invadindo o ambiente. Olho dispersa as luzes que se movimentam pela noite como quem sussurra uma melodia cheia de acordes tortos, como quem conversa baixa e lentamente consigo mesma, como quem conta mentiras ao próprio ouvido fingindo-se próxima, querendo chegar.

É como estar sozinha numa cidade ilhada. Escrevo linha por linha, tecendo desejos como quem olha para o futuro tateando o horizonte. Nenhuma ave no céu, nenhum barco à deriva, ninguém por perto. Nada.

Eu, ela e tantas outras.

Foi perdendo a inocência
junto aos sonhos espalhados pelo caminho.

Foi perdendo os sonhos
junto às noites onde procurava carinho.

Foi perdendo as noites
junto às promessas de amor e ninho.

Foi perdendo o amor,
no copo de tantas mãos,
na cama de tanta solidão.

Foi se perdendo
mas, suavemente, volta pelo caminho.

Foi reencontrando a si mesma
nos braços do Pai.

Nem medo, nem calor, nem fogo, nem vontade de chorar, nem de rir.

Imagem
Eu não sei mais identificar as coisas e pessoas que amo. Antes eu amava música, e também amava ler. continuo ouvindo música e lendo, mas com uma desconfiança, uma inquietação a respeito de todo esse insumo de informação. Desconfio que os livros estejam sempre mentindo. Talvez isso seja resultado natural da malícia que o leitor vai adquirindo com o passar do tempo. Se for isso, que todo critério seja bem-vindo. Quanto à música, é difícil ouvir certas coisas sem parar para prestar atenção, sem ser seletiva. Acho que estou ficando cada vez mais crítica (característica desde sempre revelada na minha personalidade), e isso tem me dado um certo "azedume" ao escutar música e ao ler livros.
Não penso assim em relação às pessoas, não penso que elas mentem para mim, não tenho mania de perseguição. Ainda que eu continue crítica, não assim raciocino sobre pessoas, palavras e atitudes. Só faço isso quando as considero "íntimas" e percebo nesta atitude uma forma de proteger a m…

Sempre apaixonada. Nunca acompanhada.

Imagem
Foto do céu da Praia da Barra, no Rio de Janeiro, em alguma manhã de Janeiro de 2008.
Texto retirado da música "Tipo um Baião" do disco do Chico Buarque de 2011.

Sem mais.

Estou entediada. Nem os livros têm me livrado.

Imagem

Flores em casamento? Não. Flor é coisa de velório.

Imagem
Calma, calma, calma, calma... A ideia que dá título ao post é da minha querida amiga Dricat. A menina vai casar ano que vem e tá com esse troço na cabeça de achar que casamento não é lugar para flores.

Achei o desafio pra lá de inusitado e resolvi pesquisar imagens na web para ajudá-la a criar a decoração da festança dela e do Vitu. Vamos ver? Lembrando que se você clicar na primeira imagem ela será ampliada e será exibida em forma de galeria. Se joga!

Balões:




Lanternas chinesas:




Papel:





Velas (elas estão sempre acompanhadas das flores. Sorry, baby!):



Plantas verdes:


E finalmente, FLORES, só que em formato de bola, suspensas e... lindas!




Gente, visitei mil sites e não peguei o endereço dos créditos, mas é tudo da web, tá tudo aí disponível pra gente copiar essas lindezinhas. Quero deixar claro que nenhuma imagem deste post é minha. Garimpei tudo na internet. Quem quiser as imagens separadas, pode me pedir por email que eu disponibilizo: elizabethmaia@gmail.com

Beijos!