sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Carnaval no Rio de Janeiro





Tudo bem? Eu estou ótima. Graças a Deus.

Passei um carnaval ótimo na cidade do Rio De Janeiro.

Foi bom, divertido, irreverente, inusitado, inesperável, relaxante, renovador. A minha última/única viagem ao RJ eu contei bem aqui neste blog. E desta vez foi super diferente.

Coisas diferentes que fiz:
  • pela primeira vez na vida fui a um bloco de rua (comecei pelo Carioca da Gema, na Lapa, con a Tereza Cristina - entre outros - conduzindo os microfones); 
  • vi shows de vários grupos, incluindo os excelentes Casuarina e Bangalafumenga num palco gigante; 
  • conheci gente divertida e irreverente (aliás, irreverência é a tônica do RJ, né?);
  • encontrei duas figuras conhecidas de Brasília no meio do povo: Gilson Júnior e Makley Matos, no meio do carnaval, na Lapa; (Bras-ilha, até fora de Bras-ilha, é um ovo!)
  • fui à Praia do Arpoador e passei a madrugada por lá papeando e bebendo -a única vez anterior a esta eu tinha ficado ENCANTADA com aquele lugar, aquelas pedras, aquela cor do mar ; 
  • fui a uma rave na praia de Ipanema; 
  • fiquei no meio de uma mini rave na Lapa;
  • andei no meio de gente linda (fez bem para a conjuntivite que eu adquiri poucos dias antes do carnaval);
  • andei no meio de gente feia;
  • andei no meio de gente que só queria se divertir;
  • conheci a Lapa inteira;
  • andei no meio de alguns dos carros alegóricos que foram pra Sapucaí;
  • cheguei em casa oito horas da manhã num dia; 
  • cheguei em casa duas da tarde em outro dia; 
  • tirei foto com os bate-bolas de Realengo; 
  • fiquei entretida no meio da bagunça no fundo do ônibus com a Alexia e um grupo de adolescentes trajando fantasia igual (saia rosa e blusa branca no estilo "fantasia-estudante-sexy"); 
  • sambei demais; 
  • fui à praia durante o dia. 
Enfim, me diverti demais, com responsabilidade, em segurança - não aconteceu nada de ruim comigo. Estive muito bem acompanhada... foi ótimo.

Continuo achando que o Rio de Janeiro é uma cidade feia como outra qualquer, mas realmente ela tem lugares lindos, maravilhosos.

Eu fui com a seguinte pergunta na cabeça: eu moraria lá? E achei a resposta: Sim. Eu só sairia de Brasília para morar em São Paulo ou no Rio de Janeiro. Vou colocar fotos no facebook assim que a Alexia chegar e descarregar a câmera.

Em março estarei de volta ao Rio para fazer uma prova de concurso.

E você? Como foi seu carnaval?

Recebi este comentáro no meu antigo blog e reescrevo aqui, no apagar das luzes do post:

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver." A. Klink


Beijos. E boa sexta! ;) 

As imagens que ilustram o post foram clicadas em janeiro de 2008. Eu estava numa plataforma externa no Forte de Copacabana quando fiquei encantada com o Arpoador. Adoro essas fotos. Clica que aumenta :)


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

baladas inúteis, filmes e bate papo fiado

Saldo do fim de semana: baladinha mais ou menos na sexta com minhas lindas amigas Kissu, Dricat, Fabi e Talita; sábado em casa fazendo comidinha de boteco, tomando uma cervejinha e batendo um papo animado ouvindo sotaque carioca; domingo curtindo minha casinha sozinha e vendo filminhos bobos. Esse lance de sair para baladinhas sempre foi uma coisa que considerei mais prejuízo do que ganho. Não entendo porque ainda insisto nisso. Tenho vontade de fazer um programa tipo "Um ano sem balada" (copiando a Joana do 'Um ano sem Zara' que precisava sair do vermelho e ficou um ano sem comprar nada). Acho que vou botar essa idéia na balança pesando os prós e os contras de uma empreitada como esta e fazer uma listinha de coisas a fazer na hora que bater a vontade de ir pra rua. Quem sabe rola até uma listinha de regras e exceções e eu coloco o projeto em realização!

Semana passada eu vi os filmes:

  • 'Complexo: universo paralelo', filme chocante sobre a Favela do Alemão e a vida dos seus moradores (daqueles filmes que você não sai ilesa, sem ruminar o que viu durante alguns dias); e
  • 'Qualquer gato vira lata' com aquela gostosa linda da Cleo Pires às voltas com aventuras de uma mulher que faz tudo errado em relação ao namoro (inclusive o mais comum dos erros: esolher o cara errado!).


Ontem eu vi:
  • 'Desenrola', um filminho bobo (porém romântico e engraçadinho) sobre a primeira transa na vida de um adolescente; e,
  • 'Viajo porque preciso, volto porque te amo', um filme bonito e triste sobre um cara que, após o fim do seu casamento, precisa viajar a trabalho e nessa viagem descobre a motivação necessária para continuar a vida. O filme inteiro é uma poesia linda. Super recomendo.


Estou muito devagar com as leituras, mas está chegando feriado de carnaval e eu espero honestamente dar uma esvaziada na minha pilha de leituras pendentes. (Na verdade, se eu conseguir esvaziar a pasta no meu computador de filmes que baixei e nunca vi, já vou me sentir vitoriosa. Vou viajar no feriado. Será que conseguirei?).

Bem, é isso.

E vamos nessa esperando a sexta-feira chegar pra que comece o carnaval no Brasil.

Boa semana pra você!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Sideburns

Um beijo terno
pros teus olhos baixos

afagos e carinhos
pro teu corpo cansado

sossego
pros teus ouvidos

apelos
pras tuas carícias

loucuras
quebrando o silêncio

depois
só o barulho dos passarinhos


permanência
pros teus propósitos

segurança
pro teu retorno.

Ainda não.

Enquanto isso,
espera pros nossos sonhos.

"Quem tem um sonho não dança"



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Novas

Oi gente! Tudo bem?

Lembra que eu falei que meu apartamento estava em uma pequenina reforma?  Pois é. A parte de estrutura já está pronta:
  • Removemos todos os armários antigos que seriam trocados (alguns permaneceram pois ainda estavam bons);
  • O piso foi trocado e já está limpo;
  • Aplicamos pastilhas de vidro numa das paredes da cozinha;
  • Pintamos a casa toda.
Ontem chegaram as peças dos novos armários e hoje o marceneiro começou a montar. Ele me avisou que não dá pra começar e concluir a montagem em um dia por isso vou passar o fim de semana em meio a um pequeno tumulto. Vamos torcer pra que isso acabe logo e eu fique mais confortável.

No mais, ando tão cansada, mas tão insuportavelmente cansada que não consigo sentir outra coisa a não ser a péssima impressão para estar doente. Espero poder relaxar e descansar, mas quando chegar em casa vou limpar e organizar a parte dos armários que foi instalada hoje.

Antes disso, estou saindo daqui há pouco pra tomar 'uns bons drink' com minhas amigas, falar bobagem e relaxar. Amanhã terei visitinha em casa. Devo acordar cedo pra agilizar a limpeza e organização e depois escolher uma guloseima bem apetitosa para receber mnha visita.

Adoro isso de ir ao fogão preparar pratos novos aos fins de semana. Só queria ter mais espaço, mas como está já está bom.

Beijos, e bom final de semana!










terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Almas gêmeas (Luiz Tatit)

Se faço uma cara carente
É melhor me mimar
Se tenho expressão de doente
É melhor me curar
Se a minha cabeça está quente
Cê deve assoprar
E mesmo proposta indecente
Convém aceitar
Cê tem que cuidar
Cê tem que Cê tem que evitar
Que a esta altura da vida
Eu despenque
Você me aparece sempre
Na hora certa
Você é a dependência
Que me liberta
E conserta

Se estou com frio
Você sabe o que é bom
Pra aquecer
Se estou vazio
Você vem preencher
Se desconfio
Você fala de um jeito
Que eu volto a crer
Se me arrepio
Você chega a tremer
Quando inicio
Você lá na frente
Põe fim, conclui!
Se sou vadio
Me substitui
Nunca uma dupla
Foi tão homogênea
Almas gêmeas!

Se faço uma cara de fome
Vem me alimentar
Se vivo morrendo de sede
É melhor me molhar
Se digo sempre a mesma coisa
É bom concordar
Se pensa ir embora pra sempre
É só me levar
Por onde cê for Eu sigo
Não posso viver
Muito tempo Sozinho comigo
Você é o chão seguro
Em que eu piso
Você é o que ainda resta
Do meu juízo
É isso


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

A instabilidade das coisas do mundo

Nasce o sol e não dura mais que um dia,
Depois da lua se segue a noite escura,
Em tristes sombras, morre a formosura,
Em contínuas tristezas, a alegria.

Porém, se acaba o sol, por que nascia?
Se é tão formosa a luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no sol e na luz falta a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria, sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza,
A firmeza somente na inconstância.

Gregório de Matos


Tudo isso pra dizer que mal curti o sábado passado num jantar na companhia do G6 e seus apensos e anexos, depois fui pra um bar de rock curtir uma baladinha sozinha, e logo depois acordei para trabalhar segunda-feira porém percebi que a sexta-feira já está pela metade. Tive uma semana cheia e não fiz uma coisa que tinha que ter feito: tinha que ter voltado a estudar para concursos. Tenho sentido uma péssima sensação de estar perdendo tempo, pior, de nem perceber ele passando. 

Daqui há pouco todas as minhas amigas estão ricas e luxuosas e eu continuo na mesma. Não dá.

Ainda assim, queria me divertir este fim de semana. Fazer coisas diferentes, conhecer gente nova, experimentar o inusitado, quebrar o ciclo da rotina. Aliás, como sugere Elisa Lucinda, não sou de ficar falando mal da rotina, porque que eu sou o sujeito da minha rotina. Sou eu quem teço a trama do meu dia.
Afinal, a única coisa firme é a inconstância, conforme Gregório de Matos.

Bom final de semana pra você! :)








Aplicada a conhecer e entender de Cinema

Então... há algum tempo eu ando incomodada com o meu pouco conhecimento sobre cinema aliada a uma péssima memória dos filmes que assisto. Co...