quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Preciso ser off.

Sabe do que eu mais sinto saudade nesta época do ano? Saudade de ficar entediada em casa, assistindo tv, dormindo até meio dia, comendo na hora que a fome bater... Estou precisando parar em casa um pouquinho.

Terminei o ano com essa sensação de estar saturada da rua, do barulho, do excesso, de tantas vozes ao meu redor, dos celulares apitando o tempo inteiro (também pudera: tenho 3 linhas móveis, uma fixa em casa e uma fixa no trabalho, além disso recebo tudo que me mandam no facebook como mensagem de texto).

Primeira resolução de ano novo: ser menos diponível, mais marginal, mais offline. Tudo que desejo é poder chegar em casa, ficar no meu cantinho lendo, um pouco de silêncio, e só.

Lá em Araxá passei por duas coisas que me libertaram: me pendurei em um balanço e balancei até enjoar, depois sentei num banco e fiquei ouvindo o canto dos muitos passarinhos habitantes da região.

Devo confessar que senti um pouco de inveja de quem mora em cidades pequenas e pode levar uma vida mais vagarosa. Será que eu aguentaria morar num lugar assim?

Beijos.

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...