fim de tarde brasiliense


Agora
toda tarde é assim cinza
o sol arde
o céu chora

no fim da tarde a terra cora
(como já foi dito)
como quem sente a tua falta

como naquele março
em que você foi embora

Era pra ser chuva de verão

Mas não,

é solidão.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.