segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

fim de tarde brasiliense


Agora
toda tarde é assim cinza
o sol arde
o céu chora

no fim da tarde a terra cora
(como já foi dito)
como quem sente a tua falta

como naquele março
em que você foi embora

Era pra ser chuva de verão

Mas não,

é solidão.


Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...