Espera

Olá...

Antes deste post eu já tinha rabiscado isso aqui, por isso resolvi postar agora. Acho que tenho mais coisas rabiscadas por aí sobre este assunto, mas como este é um assunto encerrado, vou parar por aqui. Beijos.

Espera

Ontem,
na vitrine de perfumes,
esbarrei com teu cheiro acenando pra mim,
nota por nota.
Hoje,
paro e respiro
suspensa
num tempo.
No intervalo de um momento insípido
resgato aroma e tato
música e fato
sensação de um dia exato.
O delírio retorna ao avesso
dos olhares cruzados
Encontro de frente
presente e passado
O futuro inexiste.
Mergulho com folga no universo da tua textura
som, cheiro e cor.
O sabor ainda demora,
mas hora de viver é agora.

Brasília, 31 de agosto de 2011 09h52

Comentários