terça-feira, 13 de setembro de 2011

Atualizando

E aí, como vai? Eu estou bem. Fiz muitas coisas boas e legais nos últimos dias. No fim do mês de agosto eu fiz um intensivo de 4 aulas de gafieira, e foi algo que me deu muito prazer. Aprender coisas novas é muito bom e eu estou adorando esta minha fase de curtir o samba.

Dia 02 de setembro saí para dançar no Calaf, com um pessoal da Vila Planalto muito divertido que eu não conhecia. Melhor cantada dos últimos tempos: um cara bonito, divertido e inteligente me roubou um beijo. No sábado, dia 03 eu fui ao teatro assistir a peça “Manual de sobrevivência ao casamento” com o grupo G7. Me diverti bastante. De lá fui ao “Roda de Boteco”. A Alexia tinha descolado ingresso grátis pra gente (Alexia, Glace, Flavia, Maria Lucia e Betânia) ver o show da Leci Brandão. Adoro festa free!

Depois deste domingo passei uma semana bem corrida, estranha, diferente. Hugo e amigos estavam na cidade, mas sobre isso eu não quero falar. Só digo que foi muito bom revê-lo pois tive a oportunidade de resolver assuntos pendentes e encerrar algumas fases. Na quarta almocei perto de casa e depois fui ao cinema assistir “De volta ao Planeta dos Macacos”.

Quinta e sexta eu fiquei quietinha em casa e isso me fez tão bem que estou pensando honestamente em pisar no freio e reduzir drasticamente as saídas. O único problema é que na maioria das vezes eu uso essas saídas pra interagir, conversar com gente, ver minhas amigas, papear a toa. Em casa eu fico sozinha por muito tempo (e invariavelmente aproveito esse tempo para ler, dormir e assistir TV). Nos fins de semana eu quero mesmo é ir pra rua, colocar uma roupa bonita, ver gente, rir e conversar. Acho que isso mantém minha sanidade. Seria beeeem melhor ficar em casa sossegadinha no colo do meu preto (se eu tivesse um).

Semana passada eu conheci a vizinha que mora no apartamento abaixo do meu. Ela é cantora de um grupo de samba e no sábado fui vê-la cantar no Armazém do Ferreira (eu e o menino que me roubou um beijo). De lá, fui com ele ao samba do Maracanã (o moço, como eu, gosta de roda de samba). Depois fui com Betânia a uma festa de música eletrônica no Museu, e de lá fomos ao show da Banda Blitz no Autódromo.

Domingo, dia 11, aconteceu uma coisa engraçada: Rodrigo Chatô e Fabi me ligaram e depois apareceram na minha casa para que eu ajudasse Chatô a fazer um trabalho da faculdade. Queriam me entrevistar sobre um monte de temas. Eu escolhi dois ou três e conversei com eles sobre isso. No final me filmaram e eu me senti ridícula com isso, mas o importante é colaborar... Que mico eu não pagaria pra ver meus amigos felizes?

Bem, esta semana retorno às aulas de gafieira e estou bastante animada com isso. Amanhã sai o resultado final do concurso em que estou em 3º lugar. Espero que a convocação não demore. Enquanto isso não quero mais estudar. Quero apenas cuidar de mim, do meu corpo, da minha cabeça, do meu coração, da minha diversão. Estou pensando em aproveitar esta minha fase de movimentar o corpo para fazer procurar uma capoeira. Bora?

Ouvindo: Dirty Honkers – Death by Swing (2011).

Lendo: Raízes do Brasil, Sérgio Buarque de Holanda – Cada vez mais me convenço que PRECISO dar uma BOA revisada na História que eu aprendi durante o ensino médio. Já consegui um livro desses bem resumidos e ilustrados, só me falta disposição para lê-lo pois é um livro pesado e gigantesco. Alguém poderia me doar os livros “Casa grande e senzala” e “Sobrados e mocambos”? Queria muito :D
Tchau! :D

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...