sexta-feira, 13 de maio de 2011

"Coisas que, nem se desenharem, eu conseguirei entender"

Não compreendo essa gente que diz que estuda, estuda, estuda, vive pra estudar, morre pra estudar, dorme estudando, acorda estudando, as vezes não dorme pra estudar, faz cursos de 4276 coisas diferentes por ano e não consegue ler um texto e entender sequer o contexto, não escreve de forma clara e compreensível, não consegue expressar o que pensa.

Não entendo gente que não entende o enredo das coisas.

Não entendo pessoas tão preocupadas em estudar vários idiomas e que pecam na hora de conjugar um verbo, escrever o plural de uma palavra, gente que não domina o mínimo do próprio idioma, gente que não conhece a realidade do seu país porque não conhece a sua história. Não entendo gente que já viajou o mundo e não percebe o próprio umbigo. Não entendo quem se olha no espelho e não vê o que está impresso na alma.

Não entendo.

Alguém quer tentar desenhar?

Bom dia!

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...