Cenas do cotidiano

Computador ligado
Chiclete barato
Pastas pesadas na mesa, no hd e na mente...
sono e esquecimento frequentes
Cama por fazer
Ócio por prazer
Trabalho pelo crédito
de novas diversões que virão.
Música, camisinha, violão.
Papéis me esperam espalhados
Listas: compras de supermercado,
desejos estacionados, limpeza da casa.
Sonho de limpar o passado
e tirar você de mim, que me marcou feito tatuagem
E eu aqui sem coragem.
Águas de março fechando o verão,
promessas de vida e mudança no meu coração,
enquanto minha cabeça recusa
se doar para os projetos de agora
enquanto não vou embora.
Quer um futuro que já chegou
mas que, de concreto, demora.
Terremoto no japão e as notícias tristes de lá.
Os pés em Brasília,
a mente nas nuvens,
o coração dividido em milhares de pedaços
que não são mais cacos
são indefinições.
Desejos incalculados
Olhos imaculados
Cama vazia
E ainda por fazer
A espera do corpo por prazer
e a espera da alma também.

"Vem, que eu sei que você tem vontade... eu sei que você tem saudades de mim..."

Elizabeth Maia
14 de março de 2011
12h04

________________________________________

Outra coisa muito presente no meu cotidiano é a leseira baré (como se diz na minha terra): essa minha memória recente péssima e a minha constrangedora falta de atenção e concentração para as coisas da vida. Eu, que não esquecia um rosto, um nome completo de um colega de turma, um número de telefone de um ex-namorado... agora não consigo lembrar do rosto de uma amiga nova que fiz na semana passada, ou das contas que preciso pagar se não estiver devidamente anotada e prevista no meu orçamento.

Lembra do sagitariano do post anterior? Me mandou uma mensagem super bonitinha na hora do almoço, NO SÁBADO, e eu só me atentei para ela dois dias depois (tipo, agorinha mesmo). Será que passei por esnobe? #dorgasmano! 12h38

Ele toca guitarra (e está aprendendo a tocar "Brejo da Cruz", do Chico).
Ele fuma maconha
Ele bebe cerveja
Ele me chama de nega.
Ele mora pertinho.
Ele curte um tal Lucas Santtana ("Mina, me dê o seu jeitinho vulgar...")
Ele frequenta o bar de rock ao lado da minha casa
Ele tem mãe e um irmão que liga pra ele pra comentar filmes.
Ele formou na mesma universidade que eu.
Eu conheço ele de algum lugar antes de conhecê-lo, mas não consigo me lembrar de onde.
Aliás, o rosto dele me foge da memória de vez em quando.
Ele só tem o primeiro nome. E isso é tudo que eu sei dele.
Todo o resto sobre sua existência eu desconheço.
(Mentira, tenho o telefone dele também... e tenho vontade de ligar :p)
:p 12h42

_________________________________________

Se eu conseguisse me concentrar por mais de 30 minutos em qualquer coisa nesta vida, eu seria mais eficiente, mais produtiva. Não consigo ler mais do que quatro linhas sem que minha cabeça não disperse na vontade de comer, conversar com alguém, fazer sexo ou tirar um cochilo. As vezes esta "desconcentração" fica muito pior. Hoje, pelo menos, já consegui sair de casa, vir trabalhar e escrever quase duas páginas. Vou anotar na agenda que na hora do almoço tenho que pagar a conta do meu telefone celular antes que a Claro comece a me avisar (de forma constrangedora) que eu não paguei, no mesmo momento que descubro que ja gastei o dinheiro para tal propósito. 12h50

Comentários