quarta-feira, 30 de março de 2011

Terrinha

Tem horas que tudo o que eu mais quero é pegar um avião e ir pra Lisboa. Meu coração aperta tanto quando penso nisso que eu prefiro sufocar a mente, não pensar nisso nunca.

Meu pai me ensinou a não enlouquecer, preservar minha cabeça, entender que eu não vou morrer e a vida vai continuar mesmo que eu não faça as coisas que quero. Mesmo assim, me dá um medo de estar agindo como uma acomodada, condescendente...

Quero ir pra Lisboa, meu Deus! Me leve para lá, por favor!

domingo, 27 de março de 2011

Essa onda que tu tira, qual é? Essa marra que tu tem, qual é?

Como vão?

Eu estou bem, obrigada. Dei uma sumidinha, mas tô de volta. Poucas novidades: o concurso que passei para ir pra Sampa já foi homologado e agora eu só estou esperando a convocação para me mudar de vez. Tenho repensado muito a respeito destas escolhas, principalmente a respeito de mudanças de Estado. Não tenho mais 18 anos, mas ainda tenho a vida inteira pela frente. Tenho muita garra e muita vontade ainda, tenho idade para fazer quase tudo, mas tenho medo de ir mudando, mudando, e não criar raizes em lugar nenhum. Vou para Sampa porque é uma coisa que eu quero MUITO há tempos. Mas a minha "maturidade" já me faz refletir que se eu não gostar, se eu não me adaptar (e eu não acredito nem um pouco nisso) eu estudo de novo pra voltar pro DF, comprar uma casa num condomínio, sala grande, amigos por perto, vidinha "way of life", é isso aí. 

Lembra do sagitariano deste post? Menino gracinha!:D Voltou. Me disse mais coisas sobre ele... e descobri que quando deixa de ser mistério perde a metade de graça. Isso me serve de lição pra eu deixar de ser faladeira. Aliás, ontem eu e Pixa discutimos por causa disso, e eu decidi que não estou nem aí se as pessoas acham que pessoas tipo eu passam por arrogantes. Caguei! Tô nem aí. Não vou deixar de ser eu só por causa de uma primeira impressão torta. Quem me conhece sabe que eu sou curiosa, disposta, crítica, gosto de ler, me interesso por tudo nesse mundo e pesquiso coisas para conversar com as pessoas. A mesma disposição que eu tenho para aprender eu tenho para compartilhar o que sei. Quem convive comigo sabe disso, me conhece como eu sou, porque eu sou transparente! Acredito que todo mundo tem um tempero especial em seu universo particular que eu posso conhecer para expandir meus horizontes e poder interagir. E com isso acabo envolvendo um universo de conhecimento diversificado (e MUITAS vezes superficial), que faz com que eu possa conversar sobre muitas coisas. Incrível como ninguém saca o quanto eu sou ignorante sobre TANTA coisa, mas TANTA coisa mesmo... mas sou curiosa. Enfim, tudo isso surgiu porque o dito sagitariano disse na minha cara que eu sou "tira onda" porque critico certas músicas/bandas/artistas. Criticar não é pra quem quer, é pra quem ousa. Quem ousa ler, quem ousa questionar, quem ousa fazer o exercício de prestar atenção no que está lendo, ouvindo, vivenciando. Criticar é pra quem usa o cérebro para mais do que receber o que a tv e o rádio enfiam na nossa goela mastigadinho. E as pessoas tem resistência com quem pensa diferente, com quem questiona.



Enfim, ADORO quem traz coisas novas para a minha vida: uma música, um escritor, um livro, um jogo, um ponto de vista. Mas eu tenho opinião, e o que mais agonia certas pessoas é que eu tenho opinião fundamentada. 

Fique se quiser. E aproveite a viagem.

Beijos

PS: Este fim de semana essa vida de concursos que "levo" (ô mentira!) me trouxe mais uma cantada para minha coleção pequena e rara em Brasília. Uma sexta-feira bem gostosa que começou com um menino concurseiro bulindo no meu computador e terminou com a companhia das minhas amigas Pixa, Flávia e Maria lúcia num show da banda Seu Chico (cover do Chico Buarque). Depois o sagitariano gracinha, depois mimos para minha casa (incluindo uma cadeira nova para trabalho no computador, porque minhas costas estavam reclamando, um bonito vaso de flores, uma bela moringa para o lado da cama, comidinha feita com carinho por mim e para mim, revistas novas de deocração...). Findi tranquilo demais. É isso aí. Bjo

Imagem da Web

quinta-feira, 17 de março de 2011

Distúrbio de Atenção

Chego da academia pilhadíssima, muito cansada, mas nõ consigo desligar. Chego por volta das 22h e não consigo fazer tudo que eu queria: tomar banho, deitar e dormir. Tenho deitado sempre após a meia noite, mas só consigo pegar no sono depois das 2h da manhã, quase sempre por causa de um remédio pra dor de cabeça. Não sei de onde eu tirei a idéia que ele me faz relaxar. Não quero virar uma viciada em remédios. A partir de hoje posso virar a noite em claro mas não vou tomar mais isso. Ou vou fazer algo ainda mais radical: vou jogar uma caixa inteira de remédios fora. Dentro dela vou deixar apenas os presentinhos que a Lai me deu (nem te conto!), e a minha caixa de BandAid.

Depois que pego no sono eu fico chapada e não consigo acordar. 

Estou sentindo uma dificuldade enorme para me concentrar no trabalho e uma facilidade imensa em me concentrar nas coisas que não tem a menor importância. Achei que a academia e a prática de um esporte ia me ajudar nisso, mas tô me sentindo cada vez mais dispersa. Minha memória está cada vez pior. Q q eu faço?

Papai do Céu, dá pra mandar alguém pra cuidar de mim? Estou me sentindo tão só... :p

Inspirações em roxo, lilás, rosa e adjacências, para minha amiga Laiane Borges

No último sábado saí para comprar um presentinho para minha amiga Lai e, como sempre, não sabia o que comprar. Gosto de dar coisinhas de casa para minhas amigas. Já dei jogo de taças de champanhe para a Kissu, coqueteleira chiquê para a Dricat, e para as outras sempre dou coisas que não são de casa porque elas tem aquela bobagem que o presente tem que ser pra elas, e não para a casa. Pra mim, podem dar coisas de casa e livros, muitos livros, porque eu os amo!

Enfim, rodei, rodei, rodei e acabei ligando pra ela, que me informou que está reformando a casa e quer fazer uma parede "roxo-uva" no seu quarto. Dei um porta-retrato todo enfeitado com pedras roxas, e prometi um post com inspirações para a decoração do novo quartinho.

Não me contive, e coloquei neste post inspirações para a casa inteira. O único problema é que não sei o que roxo, lilás, uva, e etc... então fui colocando as cores e tons vizinhos. Vem comigo!

QUE TAL COMEÇAR PELAS PAREDES?



(Quero essas flores na minha parede, já!)





Uma vida nestas cores na área externa! Alegre e feminina!



(Agora a Lai morreu de amores pelo quartão, aposto!) Arrasei, né? :D




QUE TAL NAS PORTAS? 



SE O PÉ DIREITO FOR ALTO... COR NELE!


QUE TAL COLOCAR ROXO SÓ NA ROUPA DE CAMA?

Eu amei esta parede azul! Mas olha o detalhe pequenininho em roxo. Amei :D

Luxo! Dormiria pra-sem-pre nesse quarto!

Esse quartinho é básico e barato! Essas prateleirinhas podem ser feitas de gesso ou de concreto :D


Esse romântico é a sua cara. Caro é a cama! :p

Outro barato. Essa cabeceira pode ser feita de tijolos ou de gesso.


Amei esta cabeceira. Dá uma impressão de conforto sem fim!

Eu acho estranho esse teto... mas veja a beleza das cortinas e o conforto do tapete :D

NOS MÓVEIS:
Não sei que cor é essa, mas tinha que mostrar essa cozinha em algum post. LINDA!

Olha aí um closet barato pra quem gosta de dormir pendurado!

Acho um luxo esse tecido forrando sofá, mas fico imaginando como ficaria a temperatura disto neste calor terrível do cerrado...

Todo mundo tem uma cadeira velha que poderia ficar nova se ganhasse um banho de tinta. Queria fazer uma reforma dessas naquele jogo da sala da Queline... Ops! Queline... você por aqui?! kkk

Tom elegantíssimo de roxo.

EM PEQUENOS DETALHES NA DECORAÇÃO:










Por hoje é só! Muitos beijos a todas as minhas amigas. Tomara que a Lai goste!

Fiz um post pra Queline (que não sabia como usar banquetas) e outro pra Débora (que sonha em morar numa casa de campo). Espero um dia fazer para as outras amigas linduxas do meu coração! :D

Créditos das imagens: Portal Casa, Casa e Jardim, Desing Sponge e tantos outros blogs LUXO que visito na internet. :D Se alguma dessas imagens for sua, me avise que eu coloco o crédito na hora :D

terça-feira, 15 de março de 2011

Mais um dia de pesquisa pro trabalho

Estou aqui no meu trabalho pesquisando a história do meu cliente e percebendo que muitas vezes para entender essa história eu preciso conhecer muito bem a geografia. 11h14

__________________________________________

Como diria o Pichu: o problema é todo do arquivista. A gente tem que saber de Direito, de Administração, de informática e Tecnologia, de Web, de Política, de Linguística, de Geografia... de um tudo nessa vida pra realizar nosso trablaho com a mínima decência. 11h54

__________________________________________

Biblioteca é o eterno lugar para azaração, né? Ontem tinha um cara me sacando. Eu fiz carão pra ele e ele fugiu. Hoje tem um casal na mesa ao lado que fala tão baixo, mas tão baixo, que eu desconfio que eles estejam se comunicando por telepatia. Ah que maldade comigo! Queria fazer como a Elisa Lucinda e prestar
atenção na conversa dos pombinhos. Apesar que eu aposto que eles só estão falando sacanagens. Pela cara dela dá pra ver a malícia...:p

Liquidação do inferno. Débito de hoje: dois pares de sandálias lindas, super confortáveis, e bem baratinhas. Juro.

Débora Carvalho vai trabalhar comigo de novo! Começa amanhã a me ajudar a fazer o diagnóstico da instituição.Ueba! :D Tõ com tanto medo de não dar conta deste trabalho que estou quase chamando esta fase de DIABInóstico. 13h40

__________________________________________

Tô com saudade das conversas com o Pichu. As vezes ele tinha saco pra me ouvir falar mal do meu trabalho. Agora vou trabalhar. Tchau! 13h41

__________________________________________

O cara para o qual eu fiz carão acaba de retornar e eu tô muito sem graça porque ele fica me oolhando com aquela cara de quem quer se aproximar. Posso processá-lo por assédio no trabalho? Sabe como é... tô precisando de uma graninha extra :D Quem acha que sou piriguete morde a língua uma hora dessas, porque quando sou xavecada fico MORTA de sem graça e nunca sei como reagir. Aliás, sei sim: reajo sempre como uma pateta. 14h29
__________________________________________


Biblioteca é um inferno, e uma delícia. Acabei de achar um livro lindo: Mulheres negras do Brasil, da Editora SENAC. Vou procurar pra mim. 16h40

Terça-feira de recomeço

Crio métodos que nem sempre funcionam. Estabeleço regras que eu mesma cuido de quebrar. Recomeço todos os dias com uma gana de reveillon. Não desisto de nada, só do que eu consigo viver sem, incluindo alguns sonhos. Vamos adiante!

Bom dia :D

segunda-feira, 14 de março de 2011

Cenas do cotidiano

Computador ligado
Chiclete barato
Pastas pesadas na mesa, no hd e na mente...
sono e esquecimento frequentes
Cama por fazer
Ócio por prazer
Trabalho pelo crédito
de novas diversões que virão.
Música, camisinha, violão.
Papéis me esperam espalhados
Listas: compras de supermercado,
desejos estacionados, limpeza da casa.
Sonho de limpar o passado
e tirar você de mim, que me marcou feito tatuagem
E eu aqui sem coragem.
Águas de março fechando o verão,
promessas de vida e mudança no meu coração,
enquanto minha cabeça recusa
se doar para os projetos de agora
enquanto não vou embora.
Quer um futuro que já chegou
mas que, de concreto, demora.
Terremoto no japão e as notícias tristes de lá.
Os pés em Brasília,
a mente nas nuvens,
o coração dividido em milhares de pedaços
que não são mais cacos
são indefinições.
Desejos incalculados
Olhos imaculados
Cama vazia
E ainda por fazer
A espera do corpo por prazer
e a espera da alma também.

"Vem, que eu sei que você tem vontade... eu sei que você tem saudades de mim..."

Elizabeth Maia
14 de março de 2011
12h04

________________________________________

Outra coisa muito presente no meu cotidiano é a leseira baré (como se diz na minha terra): essa minha memória recente péssima e a minha constrangedora falta de atenção e concentração para as coisas da vida. Eu, que não esquecia um rosto, um nome completo de um colega de turma, um número de telefone de um ex-namorado... agora não consigo lembrar do rosto de uma amiga nova que fiz na semana passada, ou das contas que preciso pagar se não estiver devidamente anotada e prevista no meu orçamento.

Lembra do sagitariano do post anterior? Me mandou uma mensagem super bonitinha na hora do almoço, NO SÁBADO, e eu só me atentei para ela dois dias depois (tipo, agorinha mesmo). Será que passei por esnobe? #dorgasmano! 12h38

Ele toca guitarra (e está aprendendo a tocar "Brejo da Cruz", do Chico).
Ele fuma maconha
Ele bebe cerveja
Ele me chama de nega.
Ele mora pertinho.
Ele curte um tal Lucas Santtana ("Mina, me dê o seu jeitinho vulgar...")
Ele frequenta o bar de rock ao lado da minha casa
Ele tem mãe e um irmão que liga pra ele pra comentar filmes.
Ele formou na mesma universidade que eu.
Eu conheço ele de algum lugar antes de conhecê-lo, mas não consigo me lembrar de onde.
Aliás, o rosto dele me foge da memória de vez em quando.
Ele só tem o primeiro nome. E isso é tudo que eu sei dele.
Todo o resto sobre sua existência eu desconheço.
(Mentira, tenho o telefone dele também... e tenho vontade de ligar :p)
:p 12h42

_________________________________________

Se eu conseguisse me concentrar por mais de 30 minutos em qualquer coisa nesta vida, eu seria mais eficiente, mais produtiva. Não consigo ler mais do que quatro linhas sem que minha cabeça não disperse na vontade de comer, conversar com alguém, fazer sexo ou tirar um cochilo. As vezes esta "desconcentração" fica muito pior. Hoje, pelo menos, já consegui sair de casa, vir trabalhar e escrever quase duas páginas. Vou anotar na agenda que na hora do almoço tenho que pagar a conta do meu telefone celular antes que a Claro comece a me avisar (de forma constrangedora) que eu não paguei, no mesmo momento que descubro que ja gastei o dinheiro para tal propósito. 12h50

Uma garota notívaga

Fim de semana animado!

Quinta-feira passada fui ao aniversário da Alexia, hermana que tá sempre aqui pelo blog e cuja amizade dura desde os tempos que éramos estagiárias no Sebrae (2005). Conversei com pessoas bacanas, que colocam seus diferentes pontos de vista com respeito e doçura. Falo da grande Flávia, pretona linda, do Antonio Balbino, dois outros amigos da Alexia (acho que Dick e Gilvan), minha inseparável amiga Pixa, elntre outras pessoas.

Sexta fui com Pixa a uma balada de rock'n'roll. Acho que a última balada assim foi em 1997, extinto Fronteira Norte, festival de rock que durava dias lá em Manaus. Eu ia, andava com o povo, e curtia muito rock nessa época, nas foi uma fase que passou e que deixou poucos resquícios: Led Zeppelin e Janis Joplin estão entre os representantes que ficaram. Falei neste post que era raro eu receber cantadas (e quando eu falo de cantada eu não falo daquelas bobagens que a gente escuta, falo de ser abertamente xavecada). Acho que vou ter que retirar o que eu disse... rs... Na festinha de rock eu fui xavecada por um interessante exemplar de homem de sagitário, da minha idade. Menino legal, mas que não faz meu tipo. Mas que é muito legal ;)

No sábado eu fui ao niver da Laiane, minha amiga também de longa data. Todo mundo de casalsinho na mesa à luz de velas e eu sozinha... aliás, depois e Pixa foi me buscar e fomos ao "show" do BNegão... mas abafa esse caso porque sábado fazia aniversário de 11 anos que eu moro aqui em Brasília e eu não quero falar mal. Mas foi UÓ. hehehe

Hoje eu me sentia tão cansada, mas tão cansada, que passei o dia em casa dormindo. Agora estou aqui, pedindo pra Deus me ajudar a parar de trocar o dia pela noite pois isso atrapalha minha vida inteira!

Vou tentar dormir... mas me deu uma fome de comer arroz e feijão! :p

quarta-feira, 9 de março de 2011

É carnaval no Brasil

Eu ia para o Rio de Janeiro no carnaval, não deu certo. Depois eu comecei a organizar para ir à Sampa no mesmo período e também não deu certo. Meu pai me ensinou a esquecer algo que eu queria muito me dizendo uma coisa muito simples: "A gente só sai de casa quando pode". Eu uso isso pra tanta coisa na minha vida que nem sei se ele entende a dimensão de frase tão boba. Enfim, foi ótimo não ter ido, porque tive um leve "aperitivo" do que é o carnaval, sem nunca ter pisado em um. E quando eu digo NUNCA é NUNCA MESMO! Acho que não vou gostar da combinação muvuca + gente suada + birita pra todo lado.

Sexta-feira passada fui jantar com meu amigo Diego e depois fomos dançar sala y merengue no Caribeño, eu, ele e a Pixa. O curioso da noite é que fui cantada por um carinha "bi" e outro hetero. O menino hetero tinha 22 aninhos (e eu começo a me sentir a tia gostosa da balada - lembra do outro neném que me xavecou aqui neste post?) e dançava incrivelmente bem. Homem que dança bem tem meio caminho andado pra pegar mulher (#ficaadica). No final das contas nenhum me interessava, mas bati meu recorde de cantadas em terras brasilienses na mesma noite. Incrível dois caras me xavecarem. Sobre o cara bi eu prefiro nem comentar affff... Mas enfim, foi uma noite muito divertida.

No sábado eu comecei minha malhação na academia, para me preparar para a prova física da Aeronáutica, que será dia 06 de abril. Pagar caro é tudo de bom, né? Fui tratada como princesa pelo instrutor e por todo mundo do lugar. Amei! No fim da tarde queria ver o filme Cisne Negro, mas acabei indo pro shopping com a Érica e a Pixa para comprar roupinhas de malhação. De lá fomos para o Franz Café encontrar o Bruno e falar mal das próprias mazelas. Comi terrivelmente: pãozinho torrado com chocolate quente, açaí gelado com banana, dois rolinhos primavera de camarão com molho agridoce e arrematei com uma porção de churros com doce de leite. TPM é isso aí, negrada. Comi igual uma retirante.

No domingo eu e Pixa tivemos uma saída péssima: primeiro fomos a uma baladinha no subúrbio que eu mesma prometi que não iria mais lá, Mas fui de novo. Sabe quando eu falo que Brasília é suburbana? Deixa eu contar: o lugar tem música ao vivo. Quando chegamos lá a banda estava executando um pagode com bastante eficiência e eu cheguei a tecer elogios a respeito do desempenho deles. Na hora do intervalo entre um set e outro o "dj" colocou o cd de uma banda da Bahia (de suingueira, acho que se chama assim) e alguns dos meninos da banda ficaram no palco "dublando" o cd. Grotesco. Comemos uns pastéis horríveis e decidimos ir embora. Entramos no Caribeño de novo (sentiu a falta de opção?) por que passamos no show do Monobloco e Brasília inteira estava lá e sem condições de entrar. No Caribeño só tinha pirralho bêbado e fedido. Voltamos pra minha casa xingando super pouco este cerrado.

Na segunda fui para a academia de novo e fiquei muito orgulhosa de mim porque consegui correr os primeiros cinco minutos da minha vida! Estou com as coxas e a bunda dolorida e com uma sensação incrível de vitória! A noite o destino era certo: Calaf! Quando chegamos não tivemos coragem de entrar: o povo tinha ido de um dos blocos de carnaval direto pra lá. Resultado: pessoas fedidas, molhadas, descabeladas, e bêbadas. Muito bêbadas. A música? Funk tipo proibidão. Ainda bem que não entramos. Voltamos aqui pra casa e nos divertimos horrores conversando e fuçando o orkut alheio. Sim, quanto mais vazio o orkut fica, mas estranho nos parece. Como as pessoas são toscas e confusas ali! kkk Foi hilário.

Hoje, terça, como num milagre, minhas amigas vieram para cá. Desta vez Pixa estava ausente. Foi uma coisa inesperada, e foi ótimo! Queline e Walney, Lai, Clarinha, Dricat e Kissu chegaram trazendo birita, bolo, salgadinhos e muita animação a este minúsculo lar. No fim da noite, conversei com o gajo Hugo. Gosto tanto dele! Estou muito preocupada com ele. Queria poder arrancar com a mão os sentimentos ruins que povoam os corações das pessoas que eu amo. Enfim, sem comentários.

Amanhã (quarta) é de Deus. Ele nos trará um lindo dia!

Beijos. E bom fim de carnaval!

Solidão é coisa de adulto

Acredito que a maioria dos adultos que eu conheço, e com quem falo abertamente, se confessa solitário e confuso. Alguns admitem publicamente e não tem vergonha disso, porque acham natural, como eu. Outros fazem cara de "dream life", e de repente não se sentem assim. Mas tem muita gente escondida debaixo de máscaras por aí.




Composição: Renato Mota

Leve na lembrança
A singela melodia que eu fiz
Pra ti, ó bem amada
Princesa, olhos d'água
Menina da lua
Quero te ver clara
Clareando a noite intensa deste amor
O céu é teu sorriso
No branco do teu rosto
A irradiar ternura
Quero que desprendas
De qualquer temor que sintas
Tens o teu escudo
O teu tear
Tens na mão, querida
A semente
De uma flor que inspira um beijo ardente
Um convite para amar [2x]
Leve na lembrança
A singela melodia que eu fiz
Pra ti, ó bem amada
Princesa, olhos d'água
Menina linda

sexta-feira, 4 de março de 2011

Se essa casa fosse minha...

Faz um tempinho que eu não venho aqui falar de coisas bonitas, né? Pois vamos nessa! 

No último post eu disse que estou na iminência de um uma mudança de Estado (finalmente minha hora de morar em Sampa está próxima). Estive dando umas olhadas em casas para comprar por lá e achei uma tão bonitinha, daquelas antiguinhas com cara de casa de vó, daquelas que dá vontade de voltar no tempo na decoração, algum espaço vazio para receber os amigos, simplicidade e muito aconchego. A casa é uma gracinha e está num preço super pagável. Não estou dizendo que vou comprar, mas me deu vontade :D Claro que ela precisa de uma reforma... e eu deixaria a casa bem assim:

Uma fachada e uma área externa bem colorida e feminina:



Uma sala bem ampla e confortável. Claro que eu trocaria este "hell" por "Céu", senão não seria minha casa. Do inferno eu vou passar longe :D Eu também trocaria esta mesinha de centro pela amarelinha de paletes.




Pensando bem, do jeito que eu ando tão romântica... acho que a sala que mais combinaria seria esta aqui com sofá cor-de-rosa :D



Se eu tivesse um corredor, ele seria recheado de fotografias da minha família e dos meus amigos, os antigos amigos que moram longe e os novos que forem se chegando. Claro que meu corredor não teria esta cor sóbria. Na minha futura casa será tudo bem colorido :D



A sala de jantar seria um lugar de festas e risadas. Lembro que na casa da minha avó a sala de jantar fica integrada à cozinha e é lá que todo mundo se reúne, principalmente quando ela tira pão fresquinho do forno.




Amei esta sala de jantar e é a cara da casinha...



Meu quarto seria simples, e eu só tenho uma exigência para a nova casa: que a cama seja enorme e que eu tenha um closet externo ao quarto, integrado ao banheiro. Meus horários eram diferentes dos horários do meu ex-marido e eu sempre o acordava na hora de me arrumar pra ir ao trabalho. Isso era desconfortável!
Amo essa parede cheia de informação! :D




E o closet seguiria a mesma simplicidade do resto da casa. Gosto da idéia de closet com armários sem portas.






Uma coisa que eu faço questão e que estou construindo ao longo do tempo: uma boa coleção de livros. Eu os guardaria assim. Tá vendo aí esta escada? Estaria repleta de livros! Lógico que eu só não colocaria se fosse assim tão expostos à cozinha. Acho que livros e cozinha são coisas que não combinam.


 Agora sim, um cantinho de leitura. No meu teria um divã pra eu ler deitada :D



Banheiros:




Quartinho de hóspedes



Espaço de trabalho, com livros e materias apenas profissionais e da minha formação acadêmica. (Detesto misturar meus livros de ganhar prazer com livros de ganhar dinheiro).




E finalmente, uma área de serviço :D


E então? O que acharam?

Um dia eu vou chegar lá... e eu acho que está perto! 
Beijo pra vocês!

Imagens: Casa e Jardim, Portal Casa, internet.

#prontosonhei!

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...