Tomando decisões baseada em critérios

Uma menina mais nova do que eu me ensinou isso, na primeira vez que a gente se viu. Ela é psicóloga e se eu tivesse ido lá pra ouvir só isso, já teria valido a pena. O que ela disse foi mais ou menos isso: que a gente tem que tomar decisões baseados em critérios de escolha. Quando eu fui escolher a graduação eu escolhi assim, eu queria um curso noturno, com mercado de trabalho em expansão, que me proporcionasse muitas oportunidades de trabalho, que não fosse saturado, e que fosse na UNB. Arquivologia veio bem a calhar, e foi uma das decisões mais acertadas que eu já tomei.

Meus critérios atuais são: quero fazer algo que me projete profissionalmente e que me ajude a sair de Brasília. Preciso de foco. Quero que meu foco seja minha mente (quero ler muito e sentir prazer nisto), meu corpo (quero continuar emagrecendo, quero praticar um esporte e continuar cuidando da minha saúde) e meu trabalho. A parte do trabalho implica em:

  • trabalhar com afinco no que estou me dedicando agora pois entendo onde este trabalho pode me levar, estou fazendo uma coisa que pode se tornar MUITO grande por causa da ampliação do meu campo de trabalho e da minha projeção profissional. Vou ter que ralar MUITO pra isso e é minha prioridade acima de todas as outras;
  • Continuar estudando para sair daqui de Brasília (porque para sair eu preciso de um trabalho que me remunere bem, e que me dê segurança e estabilidade);


Sempre me preocupo com as coisas do coração, e sinto muita falta disso, apesar de ser relativamente recente a minha separação. Maaas... vou fazer o que é certo: deixar o coração nas mãos de Deus e deixar que ele tome conta disso.

Estabelecidas as minhas prioridades, não quero que isso se torne "promessa de reveillon".

Esta semana vai ser ótima: dinheirinho bom chegando pra eu me organizar e na quinta vou receber uma visita deliciosa. Curte aí a primeira música da minha playlist que é bem nessa energia que eu tô! Desejo que a semana de vocês também seja muito boa! Um beijo!

Comentários

Raqueline disse…
Amiga, a gente precisa conversar!