Brasília, 11 de janeiro de 2011

Aniversário do homem mais importante da minha vida: meu paizão!

Sonho com o dia de fazer mudança: de mente para melhorar, de tecnologia para evoluir, de músicas na playlist para rejuvenescer, de humor para sorrir, de móveis para decorar, de posição para não enjoar, de paredes para colorir, de almofadas bonitas e macias para confortar, de emprego para lucrar... Nunca trocar de amigos, nunca de valores, nunca mais de casa (ops!, e nem de marido, mas isso é assunto para outro post). Deus do Céu... eu não agüento mais mudar de casa!!!!!! Eu sonho com o dia que eu vou trocar de casa quando eu for sempre para uma maior, mais bonita, mais bem localizada. Não mais do jeito que tenho mudado em Brasília por estes anos a fio...

Esta semana vou mudar de casa de novo. Acompanhe comigo onde eu já morei:
1. Cruzeiro Velho – Quadra 1, Qd. 12 e Cruzeiro Center;
2. Asa Norte: 410/411 Norte, 209 norte, 305 Norte, 412/413 norte;
3. Cruzeiro novo: Qd. 207, Qd. 1311 (dois blocos diferentes), Qd. 1205, Qd. 1307; Qd. 609,
4. Águas Claras;
5. Valparaíso.

Esta semana vou para o meu 16º (isso mesmo, décimo sexto) endereço em Brasília, num intervalo de ONZE anos. Espero honestamente que esse vai e vem acabe logo. Já morei sozinha, já morei com amigas, já morei com marido, já morei com gente doida, oportunista, drogada, sortuda, estrangeira, ladra, engraçada, religiosa, encapetada, inteligente, já morei com todo tipo de gente. E foi um super laboratório. Hoje eu posso dizer com orgulho que antipatizo com poucos e não desejo mal a quase ninguém, como canta o Lulu Santos. Me dou bem com todo tipo de gente e sou muito tolerante. Nem sempre foi assim, mas eu aprendi a ser... e honestamente acho que é por isso que eu tenho certa habilidade e prazer em administrar equipes no meu lugar de trabalho. Já vi de um tudo nestes onze anos. Mas agora já chega. Quero mudar de cidade, comprar meu apartamento e morar sozinha até o dia que Deus me abençoar e eu casar de novo e para sempre. E que dessa vez seja pra sempre mesmo. Solteira? Quero ficar não. Não tenho talento nenhum pra galinhagem. Meu coração, como eu já disse em outro post, parece cachorro que caiu da mudança... fica perdidinho atrás de um rumo.

Voltando ao assunto: este ano vou comprar meu apartamento. Consigo ouvir o tilintar das chaves. Pode ser distante, pode ser pequeno. Mas será meu reino, meu lugar, meu ninho, meu aposento de rainha. E aos poucos vou deixá-lo com aquele gostinho delicioso e confortável de casa, como eu sempre deixo todos os lugares que habito, como é aconchegante o que eu toco, o que recebe minha atenção caprichosa e especial, porque eu tenho amor e cuidado para dar a tudo que me dedico. Não vejo a hora. Já consigo ouvir o tilintar das chaves. 

Té mais! 21h13

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.