domingo, 26 de dezembro de 2010

Sorrateira

Vem

Se enrosca nos meus cabelos
Se amarra na minha cintura
Acompanha meu balanço
Degusta o meu cheiro
Embala no meu colo
No ritmo do meu regaço
Na febre dos meus braços
Vem fazer música pros meus ouvidos.

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...