Saudade diga a esse moço, por favor, como foi sincero o meu amor, como eu o adorei tempos atrás...

Hoje tá difícil aturar a falta que você me faz, mesmo sendo você alguém que eu simplesmente inventei e improvisei
pra suprir essa vontade enorme que eu tenho de ser e fazer alguém feliz.
Título: "Nunca", do Lupicínio Rodrigues.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.