sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Saudade diga a esse moço, por favor, como foi sincero o meu amor, como eu o adorei tempos atrás...

Hoje tá difícil aturar a falta que você me faz, mesmo sendo você alguém que eu simplesmente inventei e improvisei
pra suprir essa vontade enorme que eu tenho de ser e fazer alguém feliz.
Título: "Nunca", do Lupicínio Rodrigues.

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...