segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Ah... você é de ninguém...

Adoro o teu jeito de me irritar.
Adoro essa energia que eu sinto e que me cora a face escura só de saber que ela existe...
Adoro isso tudo não ter nome, telefone, razão, futuro, dia de partida, chegada. Nada.
Adoro esse nada tão vivo.
Adoro estar viva pra (não) viver isso.
Oi gente! Acho que consegui resolver a questão da "invasão" de posts políticos no blog. Peço desculpas e informo que já resolvi o problema. E o título deste post é a última frase da bela "Chovendo na roseira", do Tom Jobim... Abraços!

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...