Perfídia

Sofre a tua dor resignadamente
Sofre como eu sofri por ti também.
Sofre, que esta dor vai ensinando a gente
Que amar é um dia querer bem

Te amei, como ninguém te amou, querida
De ti o menor gesto adorei,
Esquecido da própria vida.
Perfídia mandaste em troca eu não esqueci.
Das rosas, as orquídeas e as violetas
Que eu dava a ti.

Distraída no ambiente luxuoso
Em que sempre vivias,
Tu deixaste que murchasse em minhas flores
Meu buquê de fantasias.

E agora,
Que adoras a quem te magoa,
Perdoa pelo bem que te quis,
Perdoa e serás feliz!


Alguns chamam de brega... eu acho lindo na voz do Trio Irakitan e do Francisco Alves. Sofrido e lindo. Eu estou nessa energia hoje.
Beijos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.