domingo, 15 de agosto de 2010

Agora escuta

Eu queria dizer isso em todos os idiomas
confissão em todas as árvores
Escrever nas areias de todas as praias
Espalhar no vento com o rodar das minhas saias
Encher o mar de garrafas
Lambe-lambe nos postes da cidade
Imprimir a minha ansiedade
nos jornais de grande circulação
Colocar-te como saudação
em mensagens de telefonistas
Provocar alarido
até chegar ao teu ouvido:

Estou a p a i x o n a d a.


"Lembra de mim, dos beijos que escrevi nos muros a giz.
Os mais bonitos continuam por lá documentando que alguém foi feliz..."

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...