quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mordaça

A minha voz muda
é uma mordaça do corpo
que sem asa,
se arrasta.
A minha voz muda
É uma canção silenciada e morta
E morte é silêncio
do sonho
mordaça
Mas o que me consome
o que me tira o sono
o que nao sacia
É o vôo macio e sem pouso
da  voz
que é minha alma.

19/07/2010

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...