Mordaça

A minha voz muda
é uma mordaça do corpo
que sem asa,
se arrasta.
A minha voz muda
É uma canção silenciada e morta
E morte é silêncio
do sonho
mordaça
Mas o que me consome
o que me tira o sono
o que nao sacia
É o vôo macio e sem pouso
da  voz
que é minha alma.

19/07/2010

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.