quinta-feira, 29 de julho de 2010

Hoje

As vezes, como hoje, me sinto soterrada... as vezes me sinto ilhada... ou me sinto perdida no meio do escuro.  As vezes escrevo para colocar as idéias no lugar, pra tentar chamar a tenção e pedir ajuda, para nadar de volta ao cais, pra sair da ilha, pra acender a luz. As vezes não consigo fazer nada. As vezes fico engessada de corpo, alma, mente e coração... Como hoje.
Tô me sentindo péssima por não conseguir escrever. Tô tentando há dias escrever o que tenho pensado e sentido, mas tô bloqueada. Simplesmente não consigo. O que é muito mal, porque me sinto melhor quando escrevo. Coloco as idéias no lugar, consigo separar o que pensei, o que senti e o que vivi... mas ta tudo misturado como aqueles sonhos ruins que a gente sonha e não sabe se está vivendo ou se está sonhando...
"Socorro... alguma rua que me dê sentido!"

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...