Hoje

As vezes, como hoje, me sinto soterrada... as vezes me sinto ilhada... ou me sinto perdida no meio do escuro.  As vezes escrevo para colocar as idéias no lugar, pra tentar chamar a tenção e pedir ajuda, para nadar de volta ao cais, pra sair da ilha, pra acender a luz. As vezes não consigo fazer nada. As vezes fico engessada de corpo, alma, mente e coração... Como hoje.
Tô me sentindo péssima por não conseguir escrever. Tô tentando há dias escrever o que tenho pensado e sentido, mas tô bloqueada. Simplesmente não consigo. O que é muito mal, porque me sinto melhor quando escrevo. Coloco as idéias no lugar, consigo separar o que pensei, o que senti e o que vivi... mas ta tudo misturado como aqueles sonhos ruins que a gente sonha e não sabe se está vivendo ou se está sonhando...
"Socorro... alguma rua que me dê sentido!"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.