sexta-feira, 25 de junho de 2010

Casamento de artista

Gentê, na boa! Tenho medo de ver fotos de casamentos de certas celebridades porque alguns personagens daquelas novelas clichês da rede bobo ter criado fôlego de vida e saído do papel... Por que celebridade que era pobretona e enriqueceu teima em reforçar a teoria da grobo que pobre que enriquece vifra a coisa mais cafona da face da terra?????? To aqui vendo as fotos do casamento da Scheila Mello (aquela que ralava na boquinha da garrafa) e do ex-nadador Xuxa.

Olha que circo:
  1. Lembra do cumpadi uóshinton? Foi pro casório de bigodinho de porteiro, terno com listras pretas e brancas meio zebradas e uma gravata borboleta desatada, caída nos ombros... elegância ZERO pra ele;
  2. Antes de entrar na cerimônia a noiva saca seu celular de dentro do carro pra conferir com as amigas se o noivo teve mesmo coragem e tá lá esperando ela... (detalhe: a noiva, dentro do carro, parece estar envolvida em plástico bolha) (?);
  3. Maurício Manieri parece que passou o dia todo na lida da obra... e esqueceu de fazer a bendita barba... parece um peãozão. Alguém tem que levar ele pra fazer um clareamento nos dentes, viu? Tá feio. Bota pra mexer, Manieri!
  4. O noivo (aquele nadador ex-gatinho que bolinou um pobre cãozinho carente num programa de tv) quis seguir uma tendência meio européia onde os meninos vão com ternos bem colados ao corpo e optam pelo despojado tênis... mas todos os meninos europeus que eu vi vestidos assim eram bem franzinos, o que não é o caso do nosso estimado ex-atleta;
  5. A noiva pagou o maquiador mas ficou sem grana pra fazer o cabelo.
O resultado de tudo isso você percebe nesta foto abaixo, retirada do site da UOL Celebridades:



Só eu que to vendo ela com cara de quem exagerou no etílico e ele com cara de quem ta meio desesperado? Alegria, alegria, alegria (como diria Ben Jor) minha gente!!!!!!!

Quer ver mais fotos do enlace matrimonial (urgh desse termo!)? Vem comigo!.

Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...