Happy hour

Eu ando bem agoniada com o fator tempo. Estou fazendo uma pós-graduação que toma boa parte das minhas noites. Agora estou fazendo três disciplinas, e cada uma delas passa um trabalho por semana. Cada trabalho indica três ou quatro referências bibliográficas básicas e como não faço "serviço de porco", sempre procuro outros textos pra embasar minhas opiniões no que escrevo. E isso não tem sido fácil. Mas precisa ser feito. Para isso, deixei de lado os trabalhos da minha empresa e tenho levado alguns livros pro trabalho, pra na hora do descanso "carregar um pouquinho de pedras". Deixei pela metade alguns livros que estava lendo: O primeiro teço, de Neal Cassady; e o On the road, de Jack Kerouac; além de outros dois de Rubem Fonseca, mas como um deles é de contos, antes de dormir eu sempre leio um continho.

Mas... sabe de uma coisa que eu não abro mão? De sair com minhas amigas. Sabe por que? Porque elas me devolvem a sanidade mental, porque a gente ri, bebe e fala bobagem, porque a gente xinga quem a gente quer, confessamos nossos pecados sem o juízo alheio (principalmente o masculino!), porque somos e estamos inteiras ali, umas para as outras. E eu amo e valorizo muito isso. Valorizo porque minhas amigas são verdadeiras comigo, até quando não reparam que eu emagreci, mas levam chocolates para que eu fique bem. :D





Isso aí no meu copo é fogo... porque eu bebo e o fogo não apaga. ;)

Beijos. Bom domingo! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.