quarta-feira, 28 de abril de 2010

Nascente

Minha voz impetuosa se cala, mas em um momento a mente fala baixinho...

Por isso, sou um ser da madrugada.

É quando o mundo se cala que eu consigo abrir as portas e janelas da alma, é que eu consigo me escutar e ser eu mesma... Como se de dentro do meu quarto eu conseguisse perambular por aí, respirando a brisa da noite, e pensar com lucidez.

Na madrugada, quando só os cães e os ladrões fazem a festa, eu acordo para o que nasce dentro do meu peito como um rio calmo, nascente miúda e silensiosa... e cresce.

É durante a madrugada que eu ouço minha mente com clareza, é que a voz se cala pra ouvir cabeça e coração, antes de ser vencida pelo sono e pelas mordaças dos olhos alheios abertos pelo dia. Ninguém me olha. Retiro as máscaras e os pesos das costas. Os títulos, os rótulos, os personagens, todos vão ao chão depois que o ponteiro do relógio manda a cidade para a cama.

Durante a madrugada fico sóbria, serena, e pela primeira vez consigo ponderar com equilíbrio, sem delírios, sobre o dia que se foi e o outro que vai chegar.

Assim fico quieta, emudeço os lábios, acalmo o corpo, e procuro o equilíbrio entre a multidão e solidão, entre pesar e delirar, entre a vida e o sonho, entre a fala e o silêncio. Guerrear e apaziguar, trabalhar e gozar, experimentar e refletir. Tudo em um ponto só.

Ouço os sons da madrugada. Todos nascem dentro de mim.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Receita de mulher

Hoje o P.a.U. divulgou um texto chamado "Como conquistar um homem?". Existe receita? Leia lá a opinião do Marcelo Vitorino. Porém, há um tempo atrás, o nosso poetinha Vinícius de Moraes deu a Receita de Mulher... que segue abaixo.

As muito feias que me perdoem
Mas beleza é fundamental. É preciso
Que haja qualquer coisa de flor em tudo isso
Qualquer coisa de dança,
qualquer coisa de haute couture
Em tudo isso (ou então
Que a mulher se socialize
elegantemente em azul,
como na República Popular Chinesa).

Não há meio-termo possível. É preciso
Que tudo isso seja belo. É preciso
que súbito tenha-se a
impressão de ver uma
garça apenas pousada e que um rosto
Adquira de vez em quando essa cor só
encontrável no terceiro minuto da aurora.

É preciso que tudo isso seja sem ser, mas
que se reflita e desabroche
No olhar dos homens. É preciso,
é absolutamente preciso
Que seja tudo belo e inesperado. É preciso que
umas pálpebras cerradas
Lembrem um verso de Éluard e que se acaricie nuns braços
Alguma coisa além da carne: que se os toque
Como no âmbar de uma tarde. Ah, deixai-me dizer-vos
Que é preciso que a mulher que ali está como a corola ante o pássaro
Seja bela ou tenha pelo menos um rosto que lembre um templo e
Seja leve como um resto de nuvem: mas que seja uma nuvem
Com olhos e nádegas. Nádegas é importantíssimo. Olhos então
Nem se fala, que olhe com certa maldade inocente. Uma boca
Fresca (nunca úmida!) é também de extrema pertinência.

É preciso que as extremidades sejam magras; que uns ossos
Despontem, sobretudo a rótula no cruzar das pernas,
e as pontas pélvicas
No enlaçar de uma cintura semovente.
Gravíssimo é porém o problema das saboneteiras:
uma mulher sem saboneteiras
É como um rio sem pontes. Indispensável.
Que haja uma hipótese de barriguinha, e em seguida
A mulher se alteie em cálice, e que seus seios
Sejam uma expressão greco-romana, mas que gótica ou barroca
E possam iluminar o escuro com uma capacidade mínima de cinco velas.
Sobremodo pertinaz é estarem a caveira e a coluna vertebral
Levemente à mostra; e que exista um grande latifúndio dorsal!
Os membros que terminem como hastes, mas que haja um certo volume de coxas
E que elas sejam lisas, lisas como a pétala e cobertas de suavíssima penugem
No entanto, sensível à carícia em sentido contrário.
É aconselhável na axila uma doce relva com aroma próprio
Apenas sensível (um mínimo de produtos farmacêuticos!).

Preferíveis sem dúvida os pescoços longos
De forma que a cabeça dê por vezes a impressão
De nada ter a ver com o corpo, e a mulher não lembre
Flores sem mistério. Pés e mãos devem conter elementos góticos
Discretos. A pele deve ser frescas nas mãos, nos braços, no dorso, e na face
Mas que as concavidades e reentrâncias tenham uma temperatura nunca inferior
A 37 graus centígrados, podendo eventualmente provocar queimaduras
Do primeiro grau. Os olhos, que sejam de preferência grandes
E de rotação pelo menos tão lenta quanto a da Terra; e
Que se coloquem sempre para lá de um invisível muro de paixão
Que é preciso ultrapassar. Que a mulher seja em princípio alta
Ou, caso baixa, que tenha a atitude mental dos altos píncaros.
Ah, que a mulher dê sempre a impressão de que se fechar os olhos
Ao abri-los ela não estará mais presente
Com seu sorriso e suas tramas. Que ela surja, não venha; parta, não vá
E que possua uma certa capacidade de emudecer subitamente e nos fazer beber
O fel da dúvida. Oh, sobretudo
Que ela não perca nunca, não importa em que mundo
Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade
De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma
Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre
O impossível perfume; e destile sempre
O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto
Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina
Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição
Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação inumerável.

Vinícius de Moraes

quarta-feira, 21 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Poeira da estrada

Se estou apaixonada?
Sim.
Sempre.
Me apaixono pelos personagens que crio.
As vezes eles tem nome, sobrenome, e até um rosto.
As vezes eles não tem nada...
E mesmo assim são irresistíveis.
As vezes eles estão tão próximos
(aqui na minha cabeça que não para nunca).
As vezes eles estão tão distantes que me dá vontade de construir pontes,
Pássaros que me levem
Trens-bala
Qualquer coisa que me leve a despedaçá-los
por tocá-los
E vê-los desfazerem-se
na água que evapora do oceano...
ou na poeira que levanta da estrada.
Porque o que me atrai mesmo é a estrada
E depois nada mais me leva a eles
Aos personagens que invento
loucamente, perdidamente...
todos os dias...
Fica só a vida real.
Elizabeth Maia

domingo, 18 de abril de 2010

Estou doente da cabeça e do coração.... Eu e a Hannah!

Amigos visitantes... mais uma vez vou tentar me manter um pouco afastada da internet pra ver se coloco a cabeça e o coração em ordem. Ok? Preciso tentar ser alguém mais "real" e esse mundo virtual me toma muito tempo e atenção... principalmente quando eu só consigo acessar a vida que quero viver através da tela do computador. Quando a realidade está longe de você... nem a web consegue aproximar.

Deixo um vídeo de uma música perfeita, que diz exatamente o que eu estou sentindo e vivendo agora. A tradução está logo abaixo.

Um beijo.



Como eu iria saber que tudo isso não passou de um joguinho para você?
As vezes que senti você entregar seu coração.
Pensei em entregar o meu.
Eu deveria ter previsto.
Sempre que vc dizia:
"Querida, eu sou um tolo que acha legal se apaixonar!"

Se eu tivesse prestado mais atenção, perceberia que não vale a pena.
A lógica não se importa com a minha fascinação pela paixão.
Mesmo assim, meu coração precisa de carinho de tempos em tempos, mas deixa pra lá.

Porque, querido, eu sou uma boba que acha legal se apaixonar.
Querido, eu preciso analizar tudo por um momento, para ter certeza que não se trata de vaidade.
Olhe me nos olhos e me diga que o amor não é baseado na insanidade.
Mesmo se meu coração estiver acelerado, em um momento passageiro.

Beije me agora,
Não pergunte como.
Porque, baby, eu sou uma boba que acha legal se apaixonar.
Baby, eu sou uma boba que acha legal...
E nunca saberei se você também virou um bobo apaixonado.

Por Guilherme Pratti

Eu ando tão adolescente!

Esses dias eu tenho me sentido cada vez mais com 16 anos, aquela fase onde tudo é sonho, delírio e loucura (principalmente para quem olha de fora).

Tenho sentido a cabeça fora de lugar, tenho chorado à toa, tenho feito planos mirabolantes de fugir desta cidade, de voltar a estudar música e tocar por aí, e até de mudar de profissão (pela terceira vez). 

Esta noite sonhei que estava com os amigos do segundo grau, num bar na beira da praia (de mar mesmo, e não de rio, comum lá em Manaus), comemorando o aniversário da Elisa (minha irmã de sangue, de alma e de verdade)... e foi bom demais revê-los e reviver um pouquinho daquilo que em parte ficou para trás.

Olha aí a nega metida, cantando com o Thiagogô...

"E não há tempo que volte, amor. Vamos viver tudo que há pra viver. Vamos nos permitir"... 

Sabe o que me tocou esta semana? Esse videozinho aí em baixo. Mulher sofre de paixão desde cedo. Como a natureza permite isso? Tenho me sentido tão "Hannah" ultimamente...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

"Eu tenho mais de 20 anos... eu tenho mais de mil perguntas sem respostas"

Caramba.... Esse mundo é grande demais, e eu tenho tanta coisa a descobrir!!!

20 anos recolhidos
"chegou a hora de amar desesperadamente
apaixonadamente
descontroladamente
chegou a hora de mudar o estilo
de mudar o vestido

chegou atrasada como um trem atrasado
mas que chega"


Escrito por Chacal, e compreendido integralmente pela minha mente, pelo meu corpo, por tudo em mim.

Viver não é preciso

Meninaaaaasss...
Semaninha cheia de emoções e altos e baixos... ô coisa agoniante!
Quero mudar pra São Paulo e pretendo fazer isto ainda este ano. Mas as coisas não parecem andar... e por isso tenho vontade de empurrá-las. Enquanto isso, continuo por aqui, e preciso resolver minha vida.
Estou agoniada querendo sair deste trabalho. Esta semana achei que finalmente havia resolvido isso... e quando vi... bati na trave! Assim como bati na trave no concurso do Ministério da Saúde. Recebi ainda outra proposta (muito boa, aliás, perfeita), mas tô calejando... e só vou me sentir vitoriosa quando finalmente acontecer. Viver não é mesmo preciso! Tô agoniada!
Comecei a ler um livro chamado "O primeiro terço", do Neal Cassady, e li um trecho ontem que diz exatamente como me sinto agora:
 "Há uma experiência que se tem pocas vezes na vida e que se concentra naqueles segundos de antecipação antes que seja dada a resposta a uma pergunta que cresceu tanto em importância que parece determinar o destino de uma pessoa irrevogavelmente.
E eu tô exatamente neste instante. Graças a Deus tenho amigos, que além de me trazerem sempre notícias boas, ajudam a aliviar o peso dos meus dias alucinados! 
Beijos!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

"Try... just a little bit harder!!!"


Incrível! Eu acordei com uma BRUTA vontade de ouvir esta música hoje, até que maridex me enviou a letra e o mp3 (porque aqui no trampo a net é bastante limitada). O que é incrível? É o tanto que essa letra fala do momento que estou vivendo, do que estou sentindo. E a música (a fusão perfeita entre a melodia, a  harmonia, a dinâmica, a expressão... tudo) imprime em sons tudo que eu queria fazer agora: GRITAR! Por libertação, por revolta, por vontade de viver essa intensidade, extravasar esta força e energia.... e TENTAR... Apesar de ser harder.
  
Hoje estou meio louca... vontade de guitarras... cabelos ao vento... vontade de voltar ao "Fronteira Norte" (festival de rock que fui em Manaus há 11 anos atrás). Acho que to vivenciando hoje as vontades e necessidades típicas da adolescência, que tardiamente estão tomando conta do meu corpo e da minha mente. Ontem pensei em procurar um terapeuta. Mas eu não vou me reprimir. Não vou, não! Vou passar lá na Negro Blue e vou comprar uma camiseta com a foto da Janis, vou comprar umas pulseiras loucas... é isso aí... :D Torçam por mim! hahahaha

Beijos!

"Try, try, try just a little bit harder
So I can love, love, love him, I tell myself
Well, I'm gonna try yeah, just a little bit harder
So I won't lose, lose, lose him to nobody else.
Hey! I've waited so long for someone so fine
I ain't gonna lose my chance, no I don't wanna lose it,
If it's a dream I don't want nobody to wake me.
Yeah, I'm gonna try yeah, just a little bit harder
So I can give, give, give, give him every bit of my soul.
Yeah, I'm gonna try yeah, just a little bit harder
So I can show, show, show him love with no control.
Hey! Well, I don't care how long it's gonna take you now,
But if it's a dream I don't want
No I don't really want it
All right, get it! Yeah!
Try yeah, try yeah, hey, hey, hey, try yeah,
Oh try whoa! Whoa, whoa, whoa, whoa,
Oh anybody, oh anybody, oh anybody,
Try oh yeah (just a little bit harder)
Whoa I gotta try some more,
I said try yeah, aw I said try,
I said try try try try try try,
Oh try oh yeah, try oh yeah!
Hey hey, I gotta talk to my man now,
You know I, I gotta feel for my man now,
I said I, I gotta work for my man now,
You know I, I gotta hurt for my man now,
I think-a every day for my man now,
You know it, every way for my man now,
I say try, try yeah, oh try yeah,
Hey hey hey, try yeah-hey, oh, try..."
Caracoles... como eu amo a obra da Janis Joplin!!!



Este é o meu lado rock'n'roll que perdura!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Não deixe para fazer hoje o que dá pra empurrar até amanhã ;)

Fazia tempo que eu não achava uma imagem na internet com a qual eu me identificasse completamente, como me identifiquei com essa aí...
O que eu tenho mais procrastinado é a minha participação intensa nas atividades da pós-graduação. Meu Deus, como estou relapsa! Tem uma palavra boa para substituir por "procrastinação". É embromação.
embromar
(espanhol embromar)
v. intr.
Bras. Adiar com embustes a resolução de um negócio.
Mas acho que esse negócio de "embuste" aí é pegar pesado!
embuste
s. m.
1. Mentira artificiosa; ardil; logro.
2. Enredo.
Vamos então tirar o "embuste" e dizer como é que adiamos a "resolução de um negócio"? Minhas formas preferidas: conversar no msn ou navegar no facebook; ler os feeds do meu Google Reader; tirar aquela sonequinha reparadora (que pode durar até 12h do meu dia); conversar ao telefone com as amigas............ assistir tv.... fazer um "lanchinho", ler meus blogs favoritos...
Afff... existem tantas formas de embromar ou procrastinar DELICIOSAS! Qual é a sua?
Beijos

sábado, 10 de abril de 2010

Notícias e correções!

Queridões!

Tudo bem? Eu tô ótima! Recebi boas notícias esta semana. Lembra que há uns dias atrás eu fui à São Paulo? Pois... eu fui lá fazer uma prova de concurso. E na quinta a noite fiquei sabendo que fui aprovada dentro do número de vagas. Agora eu estou esperando ansiosa a convocação. Desde que conheci Sampa, em 2001, quero morar lá, mas eu sabia que não dava para ser no esquema como vim morar em Brasília: sem lenço nem documento. Agora vou para Sampa com um pouco mais de estrutura ;)

Além disso, na quarta estive com minhas amigas Queline e Clarinha, e estar com elas é tão bom! Rimos, falamos da vida, dos meninos, do trabalho... Elas são minha família: Lai, Dé, Kissu, Dricat e as outras já citadas. Hoje estaremos de novo juntas na casa da Queline para rir, comer, beber e celebrar a vida! Adoro estes momentos. Ontem (ou seria hoje? rs...) saí com a Alexia, hermana do coração, e dormimos "juntinhas" ahahaha na casa de outra hermana, a Maria Lúcia. Foi muito bom! Espero que a semana termine bem assim.

Beeeeem, falando de assunto sério agora. Dia desses publiquei uma postagem que recebi por email sobre o SAMU e o código "AA Emergência", que você pode conferir aqui. Fato é que ontem eu recebi um comentário neste post, e resolvi copiar abaixo, afinal de contas este blog é um espaço mais do que democrático, e se a informação divulgada não é a correta, temos mais é que corrigir. ok?

"Ministério da Saúde deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Fwd: SAMU - Importante":


Prezada Blogueira,


Não há nenhuma orientação por parte do Ministério da Saúde sobre esse informativo que circula na internet e emails orientando as pessoas a colocar em seus celulares contatos de parentes que devam ser localizados em caso de emergência.


O SAMU atende os casos cardio-respiratórios, trabalhos de parto, crises hipertensivas, acidentes quando houver vítimas e transferência de doentes de uma unidade hospitalar para outra.


A ligação é atendida por técnicos na Central de Regulação Médica que identificam a urgência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o primeiro diagnóstico da situação iniciando o atendimento com orientações sobre as primeiras ações ao paciente, ou à pessoa que realizou a chamada.


Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um serviço de saúde adequado à solicitação; designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma ambulância com médico e enfermeiro, equipada com todo suporte de atendimento intensivo.


O SAMU 192 – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência funciona 24 horas por dia. Basta ligar para 192 e a ligação é gratuita.


Conheça mais sobre o serviço aqui: http://bit.ly/99hETM


Atenciosamente,


Ministério da Saúde
Para mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br"

Certin, gente?

Bom fim de semana!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Cadillac Records

Acabei de ver o lindo filme Cadillac Records... e me vejo terrivelmente apaixonada (de novo! rs...).
Quem quiser saber do filme, clica aqui.
Quem quiser ver a minha nova paixão, clica na imagem pra ela aumentar.
O nome dele é Adrien Brody... E esta, no papel da diva Etta James, é a Beyoncé (diaba sortuda!).
(suspiros... rs....)

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Segredo



Estava navegando por aí em busca de imagens de uma artista cuja obra me encanta, a Irene Sheri (que ilustra este post), e achei este texto, que me fisgou.

"era noite
e minhas mãos carregavam os segredos de um corpo
era teu aquele corpo
sobre ele uma luz vadia,
intrometida, denunciava nossa sombra
enquanto o mundo, como nós, se despia
quando a manhã interrompeu a noite
dentro das minhas mãos havia um coração
meus olhos sabiam por quem ele batia
ainda que de amor pouco entendessem
ainda que refletissem segredos acumulados
ainda que a manhã revelasse paixões consumadas
e as sombras feitas corpos pudessem ser tocadas"

Segredos, de Sérgio Ornellas.

Tirei o texto daqui, e a imagem "Waltz of Flowers" daqui. Sabe o que eu gosto nas mulheres retratadas pela Irene Sheri? Elas parecem o tempo todo tão femininas, suaves, apaixonadas... tão entregues! Do jeito que eu acho que deve ser a paixão: sem jogos, sem vacilações... pura entrega.

Beijos.

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...