sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Primeiro dia do ano

Oi gente!

Tudo bem? Passei a entrada de ano na casa da sogra, nada de novo! Mas ontem recebi uma notícia bem legal, que me deixou muito animada: tirei 9,5 na correção da redação da prova da aeronáutica.

Nos primeiros minutos de "acordada" do ano (sim, porque o novo dia só começa depois que eu durmo e acordo, não interessa se deitei às 3h da matina) eu tive a tristeza de assistir às notícias sobre os desabamentos de terra em Angra dos Reis. Final e início de ano é sempre assim, né? A natureza mostra sua força. Querendo mudar o astral, fui fazer coisas mais legais:

Assisti dois filmes seguidos: o açucarado e fofo Leis da atração e Perfume de Mulher (neste filme tem uma cena onde o Al Pacino, no papel onde interpreta um cego, dança um tango com uma jovem, uma cena linda que você pode ver aqui). Desliguei a TV e fui navegar na internet... e já recomendo os sites que visitei:
  1. Passei um tempo conhecendo o site da artista plástica Graziela Pinto;
  2. Conheci o site da Revista TPM (que achei bem bacana!).
  3. E me deliciei nos ambientes do  ShootFactory;
Acompanha comigo as imagens que tirei de lá, e que são super simples, nada de luxo ou glamour... só beleza, simplicidade e um pouco de conforto!


Sonho com uma casa com janelas gigantescas (lá em Manaus, os prédios altigos do centro da cidade tem janelas assim) e com esse pé direito alto!



Não existe iluminação mais bonita do que a natural, não é mesmo?

 
Quero comprar uma mesa boa, grande, tradicional, clássica e linda! Daquelas que mantém os amigos sempre por perto... e ainda prometo caprichar nas produções culinárias :D

 
Realmente sou apaixonada por metrópoles! rs... E por casas com muitas paredes de vidro, muita iluminação natural (e muitas luzes noturnas da cidade em volta da casa!)



Fico só imaginando as festas que eu daria nessa varanda!!!






Que visual, hein?!

Beeeemm... vou ali. Semana passada eu concluí a leitura do "Ao som do mar e Pa luz do céu profundo" (do Nelson Motta) e agora estou lendo um livro do Rubem Fonseca. Beijos!


Nenhum comentário:

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...