sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Copiando alguém que falou bem do jeito que eu queria...

Cá com meus botões, estive pensando na palavrinha que se tornou banal: amor. De repente, lembrei de já ter lido, num blog muito lindo, um texto sobre o tema, e tomo a liberdade de reproduzir aqui, o texto do BinhoBrill, que inclusive já me visitou aqui no Fruto. Olha só que coisa mais bonita, e mais honesta, e mais triste:

"O Amor anda sumido, meus amigos. Encolhido nos bolsos da insensibilidade dessa nossa época, que dia após dia devora-lhe os princípios. O Amor, como tal, perdeu sua personalidade instintiva. Os ato(ai)s expulsaram-lhe a essência. O Amor, meus amigos, caiu na teia da falta de censura e agoniza, por ver o futuro que vem lhe buscar. Pese. Embale. Carimbe e Pronto! Agora industrializamos, também, sentimentos."

Né? Aproveita e clica aqui pra conhecer os sentimentos do moço.

Bjins

Um comentário:

Carol Durce disse...

Caracas, que música mais linda é essa que ouço aqui no seu blog.
A palavra amor continua sendo banalizada, mas o que seríamos nós sem a vontade de amar? Dizer que se ama até acreditar, "bom dia, te amo", "boa noite, te amo", até realmente amar...

Aplicada a conhecer e entender de Cinema

Então... há algum tempo eu ando incomodada com o meu pouco conhecimento sobre cinema aliada a uma péssima memória dos filmes que assisto. Co...