Gilberto Gil não condena o download ilegal de músicas

Muitos artistas já se manifestaram a favor do compartilhamento de músicas pela internet. Agora, foi a vez de Gilberto Gil dar uma opinião sobre o assunto. Em entrevista ao jornal espanhol El País, o cantor afirmou ser contra punições a internautas que baixam arquivos protegidos por direitos autorais.

Para o artista, os limites da internet só devem ser estabelecidos depois de um amplo debate democrático. "Estão em jogo as liberdades em uma sociedade democrática. Essas sanções só poderiam ser tomadas no caso de um grande consenso social", defende.

Gilberto Gil, 67 anos, iniciou a carreira em outro contexto social e tecnológico. Mas isso não o impediu de ver as possibilidades de evolução do meio musical. Foi um grande nome do movimento tropicalista e se tornou ministro da Cultura em 2003, deixando o cargo em julho de 2008 para se dedicar inteiramente à vida artística.

A declaração do artista vai contra a posição das principais gravadoras do mundo. Em junho, a Associação Americana da Indústria Fonográfica venceu um processo nos Estados Unidos que condenou uma mulher a pagar US$ 1,9 milhão a seis gravadoras por fazer download ilegal. A americana Jammie Thomas foi condenada a pagar 80 mil dólares por cada uma das 24 músicas que baixou.

O cantor, que atualmente realiza uma turnê pela Europa, afirmou que no terreno cultural é preciso buscar um equilíbrio entre o interesse comum e a agenda do mundo capitalista.

E você? Concorda com a opinião de Gilberto Gil?

Tirei o texto daqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.