Das coisas estranhas e curiosas que eu aprendi sobre meus amigos, por conta de um questionário idiota:

Kissu: Morre de medo que seus micos alcoólicos venham à tona, quer que todos eles morram no mar do esquecimento, mas não perde uma oportunidade de tomar umas.

Dricat: Tem um piercing no clitóris, outro no seio e quer continuar se perfurando (brincadeirinha! Hehehe). Tem muito orgulho dos seus micos alcoólicos e foi a única que de nós que ganhou da UnB um mouse pad personalizado quando passou no vestibular. Concordo com ela quando diz que homem bonito é o que tiver o melhor carro.

Danielzinho: Sua mamãe já o autorizou a fazer uma tatuagem. Não vê sentido algum em ir à África. Gosta de filmes que tenham "moral da história". Odeia garotas que usem boné.

Fred: Tem preguiça de escrever seu nome completo. Como bom cineasta que é, gosta de contar historinhas com riqueza de detalhes, como descreveu seu acidente de carro. Tem o corpo discretamente revestido de tatuagens. Gosta de mandar "tomar no c*" para se sentir aliviado.

Queline: Quase morreu num acidente de carro (e nunca nos contou!). A única até agora que curte uma cervejinha. Como eu, ama lírios. É viciada em Gloss (o cosmético, e não Gloss a revista). Seu cd preferido é do Scorpions (Nossa! Que brega! Kkkkkk).




--
Elizabeth Maia
elizabethmaia@gmail.com
maiadepaula@hotmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.