Comida de idosos, saúde, casamentos na família e afins...

Nada como ter uma senhora idosa em casa para comer um pouco melhor, né? Minha avó, que tem 76 anos, esteve por aqui neste fim de semana e me fez pensar várias coisinhas importantes sobre alimentação, prática de exercícios físicos, e manutenção de um corpo saudável.

Minha vovó acabou de passar por um spa em Salvador com o objetivo de perder peso, baixar as taxas de glicose, colesterol e todas aquelas coisinhas chatas que atrapalham nossa saúde, onde perdeu uns quilinhos às custas de muito sofrimento. Nos primeiros dias a tadinha só bebia sucos nada saborosos (couve, cenoura, beterrada.. argh!), precisava fazer caminhadas, e etc, além de ter de pagar cerca de R$ 4 mil por uma estadia de dez dias. Minha tia, que foi com a vovó pra Bahia, perdeu quase nove quilos em dez dias, LIÇÃO: Bethzinha, não é muito melhor cuidar da alimentação agora? Fiz para ela sopinhas de legumes, sem nenhuma gota de óleo, além do natural dos alimentos. Caprichei no serviço de saladas e sucos naturebas, fiz sopinhas, milho cozido, leite e suco de soja, tudo muito natural e sem gorduras. No sábado levei a vó para passear pois é recomendação médica que ela caminhe. E eu fico pensando que eu reclamo de ter que malhar agora, com toda a energia e disposição que eu tenho. Imagina como é difícil para alguém que mal pode andar? Por isso pessoal, vamos cuidar do corpo agora, enquanto ainda é fácil para nós que somos jovens.

Anota a receitinha de uma sopinha leve
: refogue, na panela de pressão, cebola e alho amassadinhos, tomate e pimentão na mistura de um tablete do seu caldo favorito. Como o caldo já tem gordura, não é preciso acrescentar nadinha de óleo. Corte, em pequenos pedaços, batata e cenoura em cubos e cubra com água. Depois de 15 minutinhos na pressão, destampe e coloque brocolis na mistura. Deixe ferver um pouco mais. Depois reserve um pouco do caldo e dos legumes para serem batidos no liquidificador. Após acrescentar a batida você vai reparar que o caldo "engrossou". Agora é so servir! Para quem pode consumir um pouco mais de calorias, sirva com pães, torradas ou até aqueles salgadinhos em formato de canudinhos.
Depois deste fim de semana descobri que quero ter mais tempo para cozinhar. E que preciso fazer um curso de culinária. hehehe Meta para o próximo ano, pois este ano já está cheio de atividades.

No sábado eu fui cantar no casamento do meu primo Thiago com a Daniela, e cheguei a uma conclusão: casamentos são todos iguais, salvo um ou outro... Não há, muitas vezes, como emitir opinião... O inusitado desta vez foi que quando a noiva apareceu na porta da igreja, bem no início da marcha nupcial, o noivo soltou um grito no estilo "Uhhhuu", fazendo com que todo mundo caísse na gargalhada, transformando em gracejo a entrada da noiva, e descontraindo um pouco o clima que, como todo casamento, estava ligeiramente carregado. Eu demorei um tempo pra entender o que tinha contecido pois estava com a cabeça nas músicas, além disso, eu sou meio devagar mesmo... :p Bem, na recepção, aquela coisa básica de cumprimentar pessoas com as quais você não tem a menor afinidade, receber elogios de muita gente que não entende nada de nada, ouvir comentários de quem não tem nada a dizer, abraçar três ou quatro pessoas queridas e cair fora o mais depressa possível, como em todos os casamentos!

Amanhã começa a rotina de trabalho e cursinho, novamente, e agora eu vou aproveitar a tarde para tirar uma soneca gostosa. Bjins pra vocês. Tenham uma semana ótima!

Comentários

Leo disse…
Sua avó anda cheia de disposição sim! Depois de encarar spa em Salvador e passar uns dias em Brasília...
Nossa, vc canta em casamentos, nem sabia! É, todo casamento costuma ter uma gafe que entra para a história, hehehe!
Angélica disse…
Fiquei muito satisfeita ao ver este recadinho de sua receitinha saudável, porque eu tenho uma vó de 98 anos, e as vezes não temos muita opção de pratos saudavéis...adorei obrigada! Angélica R,Bjos EMAIL:angelroliveira@gmail.com

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.