segunda-feira, 9 de março de 2009

Amazônida


Apesar da leve sensação de pertencimento
não sou deste lugar
tenho certeza
não nasci neste momento
não sou deste mundo
nao é minha esta natureza

E apesar destas cores que me marcam
apesar destes cortes que a vida me fez
sou seringueira cortada
descaracterizada
levada pra longe
onde o tempo não se refaz
e o mundo não sabe
em que paradeiro
em que precipício
onde minha seiva se esvai

Apesar da eterna beleza
das veias da minha madeira
minha estrutura está
onde está minha raiz
Semente que cai e não dá frutos...
Sem identidade e sem sonhos,
um homem não passa de uma tora prestes a ser queimada.


Elizabeth Maia


"Mas... sonha, que passa..."

Um comentário:

Edna Vilas Boas disse...

"Apesar da leve sensação de pertencimento
não sou deste lugar
tenho certeza
não nasci neste momento"
Perfeito bete.

Eu tb não sou daki e sei que não vim pra ficar. rs mt lindo seu texto!

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...