terça-feira, 31 de março de 2009

Hora do rush

Lá vem a noite. Chove.
Eu não queria estar aqui.
Quero sumir. Estar aí.
Não me reprove.

Me dá uma máquina do tempo?
Me dá o segredo do teletransporte?
Me leve pro sul, pro norte.
Me dá a máquina do espaço?
Me dá um avião, que já tá de bom tamanho.

Só quero te ver
Estar com você e salvar o seu dia
Do tédio, do concreto
da correria.

Vamos providenciar tudo.
Take it easy. Trust in me.
Animar teu fim de tarde
Sem alarde,
te ocupar na hora do rush.

Elizabeth Maia

"But it was just my imagination
running away with me.
It was just my imagination
running away with me..."
The Temptations

domingo, 29 de março de 2009

Minha casinha

Finalmente, depois de muuuuitas pesquisas, muitos orçamentos... a reforma da minha cozinha vai começar: comprei o fogão novo, contratei o marceneiro para os armários e contratei o marmoreiro. Daqui há alguns dias começará o quebra-quebra. Estou animada! Meu fogão me acompanha desde a época que eu cursava Música na UnB. Já passamos muitos bons e maus momentos, e ele tinha aquela cara de estudante/retirante que eu tinha... não é pra menos... ele me acompanhou em 9 das minhas 15 mudanças de endereço aqui em Brasília. Não consigo mis olhar para a cara dele! Outro móvel que vai "rodar" em breve é a minha cama de casal (também adquirida na minha época itinerante).

De modo geral isso não é importante, mas como cantava Wilson Simonal... "NINGUÉM SABE O DURO QUE DEI". Só Deus conhece todas as muitas privações e humilhações que eu passei nesses nove anos morando em BsB, tombando por aí, morando em repúblicas, passando por todo tipo de constrangimento na casa dos outros, pagando aluguel, dependendo de fiadores, querendo um cantinho só meu. Hoje nós temos nosso ninho, nosso cantinho, e eu tenho certeza de que é Deus me abençoando, agindo com misericórdia. Não que isso seja uma espécie de compensação, afinal eu sou uma pesso má e nem mereço, mas sei que Deus me ama, e esse AP que Ele nos deu é prova do cuidado Dele, e para que eu me lembre de todas as coisas ruins que já aconteceram comigo e dê graças a Deus por tudo.

Mudando de assunto, e ainda dentro do tema "casa"... recebi uma newsletter da Coral falando sobre os tons de verde... e veio bem a calhar, pois quero fazer esta parede na minha sala de jantar:


Acho que vai ficar fresco e alegre. Adoro verde!

A primeira parte da cozinha a ser preparada é esta aqui:



No lugar deste "buraco" entre as gavetas e as portinhas entra o fogão embutido (que é diferente dos cooktops, ou fogões de mesa.

Vai ficar tudo muito fofinho e prático! E eu vou ficando por aqui. Bom domingo pra vocês!

sábado, 28 de março de 2009

Divagações

A Bíblia diz que quando um homem e uma mulher se casa, eles passam a constituir família, e todo o resto (inclusive pai, mãe e irmãos) viram parentada.... Eu agora entendo isso perfeitamente. Com todos os 487.893 defeitos do meu marido, parece que sou igualzinha a ele... parece que nossas cabeças são gêmeas para 90% de tudo o que pensamos! Não consigo me sentir totalmente inserida no contexto "papai-mamãe-maninhos".... É como se eu não conseguisse pensar como eles, falar como eles... é tão estranho! Será que esses nove anos de distância me desfiguraram? Será que eu virei um monstro?

quinta-feira, 26 de março de 2009

Mais uns versinhos bobos: Prainha

Quero prainha
Água de coco da tua boca
Vento e sal dos teus cabelos
Maresia dos meus apelos
Fico louca
por prainha

Andar na tua areia
que é muita pro meu caminhãozinho
Onde carrego não só carinho
Mareia
Tô à caminho
Me espera!

Elizabeth Maia - 25/03/09, 17h45

Coisas que andei PENSANDO ontem


25/03/09 - 9h57

“A moça feia debruçou na janela, achando que a banda tocava pra ela...” – A Banda, Chico Buarque.

Que mulher nunca sonhou em ser musa de um poeta, de um pintor, de um cronista, de um compositor... ou de um artista qualquer? Acho que já faz parte do imaginário coletivo feminino – se é que isso existe e atende por este nome – ser inspiração para uma obra de arte, ter seu rosto, seu corpo, seu jeito e manias numa obra que registra e perpetua sua estada na Terra.

Lembrei da música do Chico, e fiquei pensando nisso, no trajeto entre a minha casa e o meu trabalho...


10h14

Um dos meus chefes fala com um português muito curioso. Por exemplo, ele usa a palavra “menas”, tipo: “Achei que a gente ia precisar de menas gente para o trabalho!”

Aff... diploma de graduação em boa universidade eu já tenho. Agora só preciso aprender a ganhar dinheiro com o conhecimento dos outros. Aff.....

Créditos da imagem: Person at the window, Salvador Dali, 1925.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Sexta-feira

Eu nunca vi tanta gente com a camiseta do Iron Maiden passeando pela cidade. O show é hoje aqui em Brasília... e de repente todo mundo curte esse som. Vai entender...


Minha amiga Hariade e o marido chegam em Bsb amanhã. Nossa amizade só tem 15 anos. :D Tenho que ser breve aqui para dar os últimos retoques na casa. Na época de segundo grau a quarta-feira era nosso dia favorito, pois era o dia que a gente sempre fazia algo diferente.


Tô de TPM. Já escutei "Sensível Demais" (na voz da Nalanda) umas quintas e noventa e seis vezes só hoje... Outra música que entrou para o repertório "tpm melancólica" foi "No Escuro" da minha querida Thais Uessugui. Ouça aqui no myspace dela. A letra está aí fechando o post.



Meu trabalho novo está começando a ficar animado. Eu e a Raquel estamos selecionando os estagiários que trabalharão com a gente. Tô me sentindo pra lá de importante... rs.... Que bom que pequenas coisas me animam, me motivam. Que bom que eu preciso de pouco para ser feliz. Que bom que eu quero muito de tudo, sempre. Que bom que conheço um ponto de equilíbrio entre uma coisa e outra.

Bom final de semana para todos nós. Super beijo!


No escuro - BR-TSH-07-00009
André Vasconcellos / Thais Uessugui / Victor Castello
4:30

Eu não sei como dizer
Eu não quero confessar
De um sorriso ao querer
Quanto falta pra chegar

Eu invento uma resposta,
Improviso outro você
Eu de novo aqui sonhando
O jeito certo de dizer:

Eu quero mais
Sentir você
Sem controlar, censurar
Seu suor em minha pele
Vem pintar meu corpo
de impulso, paixão, coisa rara
No meu olhar
Nas suas mãos
revelar , mapear, desvendar esse mistério
Sem pensar em nada
Abre os olhos e me leva

Flutuando no escuro
Toda solidão se desfaz
Em silêncio puro
Pedindo por mais

...Que pede, que grita que sonha
E quer mais!

quarta-feira, 18 de março de 2009

Para as mocinha e mocinho do meu antigo emprego!


Clique em cima da imagem que ela aumenta!

Amigas!


Tem coisa melhor do que encontrar as amigas para um happy hour em plena terça-feira?
  1. Clarinha está down com o trabalho. Vamos nos esforçar para conseguir uma coisa bacana pra ela fazer;
  2. Kissu não comeu porque esperava ansiosamente um pão que uma vizinha prometeu fazer especialmente para ela - e o melhor tempero é a fome, não é verdade? hehehehe;
  3. Queline ainda anda às voltas com as confusões próprias de quem organiza festas de formatura. Ela também está estudando para concursos. Bem que eu sei o quanto é bom quando a festa acontece e a responsabilidade sai dos nossos ombros!
  4. Dricat tá fazendo uma pós que odeia e mostrou-se profundamente interessada em ser minha sócia em uma empresa de consultoria em gestão documental. Será que eu tenho perfil empreendedor? Seria uma boa ter meu negócio próprio... e agora já me sinto mais que preparada. Duro é ter que ficar sem grana no intervalo entre um projeto e outro. Acho que vou procurar o Sebrae! Não tenho noção de como o que é ser empreendedora...
  5. E eu... bem, eu vocês estão acompanhando por aqui: cortei o cabelo bem curtinho, estarei em novo trabalho a partir de amanhã (de novo em parceria com minha amiga Raquel).
Bem, é isso. Vou ficando por aqui. Bjins a quem foi e a quem não foi!

segunda-feira, 16 de março de 2009

Eu, grávida?

Quanto mais eu convivo com meus sobrinhos, mais eu amo a minha vida de mulher casada sem filhos. Eles são ótimos, lindos, uns fofos! Mas não moram comigo. E isso é uma delícia! Que privilégio poder usufruir dos prazeres da companhia de uma criancinha gostosa e não precisar participar da parte chata de levar ao médico, ir à reunião de pais na escola, ou ter que acordar cedo para limpar cocê e etc...

Falando nisso: aqui no meu trabalho tá cheio de grávidas apaixonadas por suas crias, e todas me acham um ET porque nem eu nem meu marido queremos bebês...

Ainda falando nisso: minha tia Rosy, que mora em Fortal também me acha um ET, e fica tentando me convencer pelo msn que encher a terra com mais do mesmo é a propriedade mais linda e perfeita que o Papai do Céu deu ao homem e à mulher. Aff.....

Imagina! Eu, grávida? Xiiii... não tenho o menor talento/perfil para a coisa... :p

Bjins

Desafios profissionais

Coordenar equipes não é tarefa fácil. E eu tenho aprendido isso a duras penas! As vezes os subordinados não entendem a necessidade de algumas tarefas serem realizadas porque não conseguem ver o processo inteiro e o desafio é levá-los a ter uma visão sistêmica, tão fundamental para o trabalho de quem lida com informações. O desafio é ensinar a importância de certos métodos e preocupações arquivísticas para quem nunca ouviu falar em arquivologia mas precisa atuar na área de gestão documental. Como eu tiro da cabeça dessas pessoas que não se pode simplesmente atear fogo em documento permanente?

Já tentei explicar a necessidade da organização da documentação de guarda permanente, mas certas pessoas já internalizaram o conceito do “arquivo morto” - e isso me dá pânico – de tal forma, que acham que o arquivo de guarda permanente não serve para nada, a não ser para ficar guardado, intocável, como se o documento tivesse fim em si mesmo e por isso, e para isso, deva ser guardado eternamente. Não conseguem perceber que o documento tem outras potencialidades informacionais, além daquela para a qual foi criado.

A minha equipe não sabe nada de gestão documental, e o pior... muitos não se interessam. Querem apenas bater o cartão de ponto e receber merrecas no fim do mês.

Eu quero mais para a minha vida.

Estou aprendendo que não é fácil liderar... e que nem sempre os subordinados irão entender o motivo das coisas mas existe a necessidade do trabalho e ele tem que ser feito.

Preciso fazer cursos. Preciso estudar. Preciso de mais experiência1

Deus me dê força. Segundona pesada, mas vamo que vamo!

domingo, 15 de março de 2009

News

Oi gente! Tudo bem? Lindo domingo, né?


Na última sexta-feira fui a um lindo show, como há tempos não via. Paula Santoro, Sérgio Santos, Rosa Emília e Claudio Nucci, cantando, dividindo os microfones com Eudoro Augusto, Francisco Alvim, Geraldo Carneiro e Nícolas Behr que recitavam versos do poeta Cacaso (veja post anterior), em homenagem a ele. Ao fundo, uma banda magnífica que contava com Zeca Assunção (no baixo acústico) e Marcos Suzano, entre outros, executando uma mistura fina e elegante de música regional com poesia marginal. A minha sexta-feira estava salva do tédio e da monotonia da minha vidinha burocrárica e suburbana.

Vejo que preciso sair mais!


Bem, ontem finalmente coseguimos a instalação da nossa tv fechada. E a tv de casa voltou a ser ligada... porque tv aberta tem uma programação "sem condições"... nós estávamos ilhados! É incrível a diferença de conteúdos entre tv aberta e fechada: só na segunda existe vida inteligente.
Bem... mudei o visual dos cabelos. Tô ansiosa por mudanças ainda maiores. De novo. rs...
Terça que vem é dia de encontrar minhas amigas. Estou ansiosa para vê-las.
Bem... é isso. Bom domingo para vocês.
Tchau!

sexta-feira, 13 de março de 2009

Semana animada


Há dias eu estava precisando de uma noite pra dançar. Pois ontem era o dia... a querida Thais Uessugui ia cantar no Calaf, abrindo para o show da Salve Jorge, e eu não podia perder essa chance de vê-la, depois de tantos anos desde a última vez que assisti a extinta banda Flash Black. No repertório músicas do seu disco Japonêga, misturadas a clássicos do cancioneiro nacional, como "Sangue Latino" (João Ricardo / Paulinho Mendonça) e "Olhos Coloridos" (Macau), música sempre presente nas festinhas blacks.

Hoje eu vou com maridão para um show de música e poesia em homenagem ao Cacaso. Eu não conhecia o trabalho dele, mas ontem ouvi na Rádio Nacional e viúva dele falando um pouco sobre a vida e a obra dele e me identifiquei de cara. Achei isso aqui sobre ele no google:


Cacaso (Antônio Carlos Ferreira de Brito) nasceu em Uberaba (MG), no dia 13 de março de 1944. Com grande talento para o desenho, já aos 12 anos ganhou página inteira de jornal por causa de suas caricaturas de políticos. Antes dos 20 anos veio a poesia, através de letras de sambas que colocava em músicas de amigos como Elton Medeiros e Maurício Tapajós. Seu primeiro livro, "A palavra cerzida", foi lançado em 1967. Seguiram-se "Grupo escolar" (1974), "Beijo na boca" (1975), "Segunda classe" (1975), "Na corda bamba" (1978) e "Mar de mineiro (1982). Seus livros não só o revelaram uma das mais combativas e criativas vozes daqueles anos de ditadura e desbunde, como ajudaram a dar visibilidade e respeitabilidade ao fenômeno da "poesia marginal", em que militavam, direta ou indiretamente, amigos como Francisco Alvim, Helena Buarque de Hollanda, Ana Cristina Cezar, Charles, Chacal, Geraldinho Carneiro, Zuca Sardhan e outros. No campo da música, os amigos/parceiros se multiplicavam na mesma proporção: Edu Lobo, Tom Jobim, Sueli Costa, Cláudio Nucci, Novelli, Nelson Angelo, Joyce, Toninho Horta, Francis Hime, Sivuca, João Donato e muitos mais. Em 1985 veio a antologia publicada pela Editora Brasiliense, "Beijo na boca e outros poemas". Em 1987, no dia 27 de dezembro, o Cacaso é que foi embora. Um jornal escreveu: "Poesia rápida como a vida".


O poema acima foi extraído do livro "Lero-lero", Viveiros de Castro Editora (7Letras) - Rio de Janeiro e Cosac & Naif - São Paulo, 2002, pág. 204.



"indefinição

pois assim é a poesia:
esta chama tão distante mas tão perto de
estar fria."

Estou ansiosa para ver o show. Quando eu voltar, conto tudo!

Tirei as informações daqui e daqui. A imagem que ilustra o post é uma fotografia da Ana Paula Assis, que eu tirei daqui.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Radiohead and All Star

Vaga tranquilo
entre o leve o denso.
Penso adiante
e não consigo alcançar
teu coração que é nobre
e é pobre
como um antigo all star.
Anda distraído
com música no ouvido
como um vadio
chutando pedrinhas da rua
Nem vê que me debruço na janela
para ouvir teu assobio
de uma canção que eu nem gosto.
Mas de qualquer maneira
Te aprecio.
E só o que eu queria era passar a mão nos teus cabelos
que o vento desarruma
E você diz que não tem jeito
nem pra mim, nem para o vento,
nem para o cabelo.


Elizabeth Maia 17h45 09/01/2009

segunda-feira, 9 de março de 2009

Amazônida


Apesar da leve sensação de pertencimento
não sou deste lugar
tenho certeza
não nasci neste momento
não sou deste mundo
nao é minha esta natureza

E apesar destas cores que me marcam
apesar destes cortes que a vida me fez
sou seringueira cortada
descaracterizada
levada pra longe
onde o tempo não se refaz
e o mundo não sabe
em que paradeiro
em que precipício
onde minha seiva se esvai

Apesar da eterna beleza
das veias da minha madeira
minha estrutura está
onde está minha raiz
Semente que cai e não dá frutos...
Sem identidade e sem sonhos,
um homem não passa de uma tora prestes a ser queimada.


Elizabeth Maia


"Mas... sonha, que passa..."

O animal da floresta

De madeira lilás (ninguém me crê)
se fez meu coração. Espécie escassa
de cedro, pela cor e porque abriga
em seu âmago a morte que o ameaça.
Madeira dói?, pergunta quem me vê
os braços verdes, os olhos cheios de asas.
Por mim responde a luz do amanhecer
que recobre de escamas esmaltadas
as águas densas que me deram raça
e cantam nas raízes do meu ser.
No crepúsculo estou da ribanceira
entre as estrelas e o chão que me abençoa
as nervuras.
Já não faz mal que doa
meu bravo coração de água e madeira.

Thiago de Mello

Segunda-feira


E aê, gente! Tudo bem?

Eu tô bem. Tenho andado bastante em sites de decoração e construção, pois estou orçando umas reforminhas na minha casa. Maaaaasss... como fazer tudo de uma vez só fica muito caro, resolvi começar as mudanças pela cozinha. Quando nós compramos o apartamento, a cozinha era uma coisa sem forma, e asim ela está até hoje. Eu coloquei uns armários "quebra-galho", organizei os eletrodomésticos da melhor maneira possível, e assim estou até hoje. Realmente é uma parte da casa que não tem personalidade nenhuma. Por isso escolhemos começar por ela. Ainda estou na fase de reunir orçamentos, escolher materiais, acabamentos, escolher fornecedores... essa coisa toda. Mas, me dá uma pena do meu bolsinho!!! Quero colocar uma bancada de granito, armários sob medida, uns ladrilhos, ou pastilhas... queria colocar uns azulejos bem coloridos da Cris Conde. Queria um pouco de cor na cozinha. Também tô olhando uns adesivos. Mas acho que a minha cozinha não é lugar para eles.

Outra parte da casa que merece um trato, mas que talvez vá ficar pra depois é o quarto de hóspedes / meu escritório. Quero um ambiente dois-em-um: um lugar onde minhas visitas possam dormir e eu possa fazer um ambiente para estudar e ler.

A sala de casa é o único lugar que já tem um pouco da nossa cara, da nossa energia, do nosso estilo. Já coloquei lá um sofá imenso, investi (barato) num tapete confortável, comprei objetos de decoração (como um cocá lindo e colorido que eu comprei em Manaus), reuní lembranças da nossa lua-de-mel... e a sala está fofa e confortável. Ainda quero trocar as cortinas e as cores da parede. Quero colocar um belo papel de parede atrás do sofá... Enfim, projetos e projetos... Preciso ganhar mais dinheiro. Porém, criatividade e pesquisa ajudam bastante!

Aí na lista de links do blog estão alguns dos sites fofos que eu encontrei sobre decoração. Espero que vcs se divirtam.

Assim que começar o quebra-quebra eu coloco fotinhas.

2009 é o ano de arrumar a casa, e a vida. O meu quebra-quebra pessoal não vou poder mostrar, mas vocês verão.

Tenham todos uma boa semana.

Ah! Essa imagem acima é um quadro da Cris Conde, que eu achei aqui.

Bjos!

domingo, 8 de março de 2009

Lyrics


Vou te visitar.
Se prepare,
me espere.

Reconsidere
todo o tempo que esperamos.

Vou fazer tudo que você prefere.

Encare
bem de frente
tudo que eu tenho pra te dar.

Atente

Não perca tempo

Guarde todo momento
que será teu,
ao teu prazer...

É o que eu quero fazer:
quero ser tua gueixa.

Deixa
tudo pra depois.

Venha.
Não se contenha com o meu corpo
Que é teu.

Não há satisfação,
apenas sede.


Elizabeth Maia


Beijo pra vcs. Tenham um excelente domingo. Beth

quarta-feira, 4 de março de 2009

Receber

Estou aqui procurando uma dica de cardápio para receber minha madrinha de casamento para um almocinho informal na minha casa e encontrei o texto abaixo. Fiquei imaginando cada uma das cenas descritas. Ótimo exercício para tirar a cabeça dos problemas... :P

Ah... A escrita do português é lusitana...

GRANDES E PEQUENAS GAFES A SEREM EVITADAS À MESA

  • cruzar os talheres, depois de terminada a refeição, em vez de colocar garfo e faca em posição paralela;
  • tomar vinho ou água, sem passar o guardanapo nos lábios, deixando a marca de gordura nas bordas do copo;
  • sentar-se e fincar os dois cotovelos sôbre a mesa;
  • balançar-se na cadeira (que acabará por quebrar-se);
  • atirar os caroços de frutas diretamente da bôca no prato, sem fazê-la por intermédio do mão entreaberta;
  • limpar (em casa onde fôr convidado) os talheres e os copos no guardanapo;
  • amarrar o guardanapo em tôrno do pescoço;
  • limpar os lábios ou os dedos, na toalha da mesa, em vez de o fazer no guardanapo;
  • usar a faca para levar o alimento à boca;
  • sorver e fazer barulho ao tomar a sopa;
  • fazer da xícara de café ou do pires cinzeiro, após o jantar;
  • falar com a bôca cheia, pois é feio e a maneira mais certa de atirar perdigotos;
  • falar o tempo todo, sem dar aos outros oportunidade de também dizer o que pensam;
  • empurrar a comida com o dedo em cima do garfo; para isso, um naco de pão é o aconselhado;
  • permitir que seu copo de vinho seja cheio e deixá-la quase intato;
  • gesticular com qualquer dos talheres seguros na mão;
  • virar o prato de sopa para aproveitar a última gôta;
  • evitar o quanto possível recusar um prato qualquer; não é necessário aceitá-lo com abundância, mas uma porção pequena é recomendável;
  • cutucar o vizinho ou a vizinha com o dedo para que preste atenção no que se vai dizer;
  • assoprar a sopa, quando estiver quente, quando o correto é esperar que ela esfrie;
  • limpar a mesa das migalhas de pão com a mão, devendo esperar que o copeiro o faça com a vassourinha especial;
  • empurrar o prato para longe, depois de ter comido o que havia nêle;
  • ao levantar-se da mesa, deixar que o guardanapo escorregue e vá ao chão, ou fazer dêle uma trouxa; dobre-o rápidamente e deixe-o em frente, sôbre a toalha;
  • ocupar-se, durante a refeição, unicamente com uma vizinha, lembrando-se de que elas são duas. Procure entreter a que estiver menos solicitada pelo vizinho do outro lado dela;
  • se a dona de casa ou uma de suas vizinhas levantar durante a refeição, faça o mesmo, é uma atenção que se deve seguir à risca;
  • usar o palito sómente quando fôr indispensável e com tôda a discreção; fazê-to rápidamente e nunca deixá-la dependurado no canto da bôca;
  • acenda o cigarro sómente depois de servidos os pratos salgados e sempre pedindo licença às senhoras que estão a seu lado. Cuidado com a direção da fumaça.– deixe o cachimbo – caso o leitor o fume – para sua casa ou quando houver bastante ar para que a fumaça não incomode. Cuidado com a qualidade do tabaco;
  • nunca se levante da mesa, antes que a dona (ou dono da casa, na falta dela), faça o sinal de gue a refeição está terminada.

Ainda tem gente assim, que vive na idade da pedra lascada???

Tirei daqui: http://www.livrodereceitas.com/diversos/cozinha/gafes.htm

segunda-feira, 2 de março de 2009

Momento bobagem!


  • Minha esposa e eu sempre andamos de mãos dadas. Se eu soltar, ela vai às compras. Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira elétrica, e uma máquina de fazer pão elétrica. Então ela disse: 'Nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar'. Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.
  • Eu me casei com a 'Sra. Certa'. Só não sabia que o primeiro nome dela era 'Sempre'.
  • Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.
  • Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha. Ela perguntou: 'O que tem na TV?' E eu disse 'Poeira'.
  • No começo Deus criou o mundo e descansou. Então, Ele criou o homem e descansou. Depois, criou a mulher. Desde então, nem Deus,nem o homem, nem o Mundo tiveram mais descanso.
  • Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes, o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer. Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura. Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe entreguei. '- Quando você terminar de cortar a grama,' eu disse, 'você pode também varrer a calçada.' Depois disso não me lembro de mais nada. Os médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida'.
  • 'O casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa e a outra é o marido...'
heheheheheheheh


Aplicada a conhecer e entender de Cinema

Então... há algum tempo eu ando incomodada com o meu pouco conhecimento sobre cinema aliada a uma péssima memória dos filmes que assisto. Co...