quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.

Em nome do nosso Patrono, Professor Doutor Rogério Henrique de Araújo Júnior e da nossa Paraninfa Líllian Maria Araújo de Rezende Álvares cumprimento todos os componentes da mesa e todos os presentes nesta cerimônia.

É hora de colocar um ponto final nesta parte da nossa longa jornada. Quando escolhemos este caminho, não fazíamos idéia da dimensão da carreira estávamos a ponto de abraçar. Hoje estamos aqui para marcar o momento final da nossa graduação. Temos consciência que este final marca o ponto de partida de uma nova fase que exige mais de nós, enquanto pessoas e enquanto profissionais; mas também uma fase que nos traz novos caminhos e oportunidades. É hora de começar a escrever novas histórias. Mas, agora queremos relembrar dos muitos momentos que passamos juntos, e que ficarão gravados na nossa memória.

Tivemos, durante a graduação, períodos de grandes lutas: alguns trabalhos nos consumiram madrugadas, passamos por provas que nos aterrorizaram, cursamos disciplinas com as quais não tínhamos nenhuma afinidade. Durante a caminhada perdemos amigos, familiares e colegas muito queridos, que certamente estariam hoje aqui, porque semearam conosco o que hoje estamos colhemos. Jamais nos esqueceremos daqueles que estudaram conosco, e que Deus preferiu levar.
Em todas as nossas batalhas, fomos vitoriosos porque contamos com a ajuda de um time de pessoas valorosas e estamos aqui para manifestar a nossa sincera e alegre gratidão aos que nos ajudaram, nos ampararam, e que depositaram em nós a confiança que precisávamos para chegar ao fim desta etapa.

Em primeiro lugar queremos agradecer a Deus, que nos deu vida e força, alegria de viver, que nunca nos faltou e que nos deu a oportunidade de chegarmos até aqui. Ele nos deu graça, e nos inspirou a tomar a feliz decisão de cursar Arquivologia nesta Universidade. Ele nos trouxe até este dia, onde aqui recebemos um diploma de graduação. Por isso nós somos gratos a Ele.

Não temos palavras para agradecer aos nossos pais, irmãos, cônjuges, avós e demais familiares, que nos criaram, e que nos ensinaram a batalhar pelos nossos sonhos. Agradecemos por nos sustentarem, nos suportarem, e por não terem deixado que nas horas difíceis, nós abandonássemos a nossa missão. Eles nos ensinaram os valores éticos, morais, sociais e espirituais que levaremos para sempre, onde estivermos. Família é um presente maravilhoso que recebemos de Deus.

Agradecemos aos nossos professores, que nos ensinaram os segredos e a beleza da nossa profissão e da nossa missão social e que, com dedicação nos mostraram a Arquivologia. Agradecemos pelas tantas vezes que fomos desafiados a fazer cada vez melhor os nossos trabalhos, a estudar mais, a descobrir, a questionar, a entender o mundo. Agradecemos porque hoje temos instrumentos que podem solucionar problemas e ajudar as pessoas. Lembraremos, com saudade, dos socorros prestados pelo professor Renato, das curiosidades que só o professor Rogério dizia nas aulas, dos slides da professora Lílian, da viagem à Goiás Velho organizada pela doce professora Georgete... Somos gratos porque, enquanto eles se esforçavam para nos fazer crescer como profissionais, melhorávamos como seres humanos e como cidadãos. E devemos isso também a eles.

Agradecemos o apoio dos funcionários da secretaria, que sempre se desdobraram para nos ajudar. Alan, Divino, Will, Yuri, e todos os outros... Sem vocês, nosso departamento pára. Muito obrigada.

Queremos demonstrar nosso respeito e admiração pelas pessoas que partilharam do ambiente profissional conosco, nossos colegas de trabalho, nossos chefes, nossos estimados orientadores, que nos ensinaram dia-a-dia a exercer a Arquivologia, a respeitar as diferenças entre as pessoas, a interagir com o ambiente profissional. Agradecemos a todos que nos ajudaram a construir a prática do nosso dever. Nunca nos esqueceremos da valorosa ajuda de cada um de vocês.

E é assim, com o coração cheio de gratidão, que nós nos despedimos desta fase de graduação. Portanto, não queremos dizer adeus à Universidade, nem às pessoas que dela fizeram parte, nem às pessoas que tornaram este sonho possível. Queremos dizer: “até logo!”, “até daqui há pouco”, onde nos encontraremos no mercado de trabalho, exercendo a nossa profissão com zelo e responsabilidade, onde seremos companheiros de profissão, cúmplices e amigos.

E assim seguiremos, cada pessoa seu caminho, cada arquivista uma história nova, cheia de vitória e aprendizado. Sim, continuaremos aprendendo, sempre lembrando desse momento que se foi, que marcou uma nova etapa, e que estará presente todos os dias na nossa lembrança.
Peço a Deus que nos abençoe, e que abençoe a cada pessoa que esteve presente, nos ajudando na caminhada. E para cada um de vocês dedicamos as palavras de Cora Coralina: “Não sei... Se a vida é curta / Ou longa demais pra nós, / Mas sei que nada do que vivemos Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas”.

Agradeço à turma por ter me dado esta oportunidade. Tenham todos uma boa noite.

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi Beth, bom dia!
Belo discurso. Parabéns e que este novo ciclo que se inicia em sua vida possa contemplar a você e aos seus prosperidade e conquistas, repletas de felicidades.
Arrasou nas ultimas frases, tomei elas emprestadas e repito:
“Não sei... Se a vida é curta / Ou longa demais pra nós, / Mas sei que nada do que vivemos Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas”.
Você tocou, o coração de todos.
Um ótimo final de semana.
Com ternura,
Sir.:.Robson.:.Vieira

Elizabeth Maia disse...

ô meu caro! Obrigada. Cadê aquele blog??? Ainda não tem nada lá... só músicas! Abraços!

Aplicada a conhecer e entender de Cinema

Então... há algum tempo eu ando incomodada com o meu pouco conhecimento sobre cinema aliada a uma péssima memória dos filmes que assisto. Co...