domingo, 9 de novembro de 2008

Adoro domingo

Oiê! Belo domingo, não é?

Adoro domingos com chuva. Bom para ouvir blues, bom para tomar um café com os amigos, pra namorar, pra treinar a direção... Tudo isso eu fiz hoje, e chego a essa altura do dia me sentindo feliz e descansada.

Eu ainda estou dirigindo mal, não tenho muito controle de embreagem, fico nervosa em vias de maior velocidade (eu moro a 500 metros de uma BR, a 040), mas hoje pude contar com o auxílio luxuoso do meu amigo Paulo Alexandre que, pacientemente, saiu comigo para treinar a direção. Me senti bem melhor e bem mais calma, porque ele tem a mesma voz mansa, e a mesma tolerância que meu antigo instrutor da auto-escola. Depois ele e Hermana Alexia vieram tomar um café comigo.

Na última semana foi aniversário da minha amiga Shirley, e eu tive uma agradável quinta-feira na companhia de pessoas divertidas: os alunos da disciplina Arquivo Corrente 2, da qual sou monitora, e Shirley é professora. Principalmente nessas épocas em que estou muito atarefada, e me sinto muito pressionada por ter que ultrapassar meus limites de desempenho, é que vejo o quão importante é ter amigos, e conhecer pessoas novas, se divertir, enfim, ser feliz.

Não vou mais fazer o curso em SP no fim de novembro. Não consegui companhia, tô dura, e tenho um trabalho final de disciplina para apresentar dia 29/11. Mas também não me importo mais.

Bem, é isso aí. Bom restinho de domingo pra vc. Tenha uma excelente semana!

Bjins

2 comentários:

Lelek@ disse...

Hermana...que bom que sentiu-se mais segura... o PA é realmente um bom professor. Graças a ele hoje sou mais eu... mas sempre com aquele pensamento...ainda tenho muito a aprender...
E qd esta fase passar vamos dar muita gargalhada!!!!
Tome cuidado, confie na sua intuição, escute as pessoas certas e não tenha medo de você mesma...
Te amo hermana!!!!
*:o)

technology disse...

Some of the content is very worthy of my drawing, I like your information!
costume jewelry

As multidões

Nem todos podem tomar um banho na multidão: ter o prazer da turba é uma arte. Só assim se pode oferecer, à custa do gênero humano, um b...