Livros para ouvir

Não me lembro quando foi a última vez que entrei numa livraria "física", mas deve ter sido pouco antes do meu aniversário, no ano passado, quando entrei na Siciliano com minha amiga Clarinha para namorar a biografia do Tim Maia. Hoje eu tomei um baita susto ao entrar na mesma loja e me deparar com uma prateleira com uns pacotes com cd's, faixas em mp3, com os livros, nas vozes de personalidades brasileiras. A biografia do Tim na voz do Nelson Motta! Que máximo! Sou aberta a tudo que venha tornar nossa vida mais prática.

Dia desses eu achei super estranho entrar no carro da minha amiga Shirley e me deparar com o um cd de uma palestra, ou sei lá o quê, do Jacques LeGoff, em francês, que ela estava escutando no carro.

Já pensou se a moda pega? Vamos poder escutar o Schellenberg na voz da Dona Nilza Teixeira? rs.... Só quem é arquivista pra entender o drama! rs...

Bem, é isso. Acho que teremos muita coisa boa para ouvir nos próximos anos. :)

Minha segunda-feira não começou muito boa: acordei atrasada, peguei um congestionamento terrível, sentei ao lado de um cara que fedia tanto que me meu mal estar, o ônibus quebrou, meu contra-cheque não chega, o salário sumiu da minha conta... ai ai ai... tomara que tanta coisa chata seja um sinal de coisas maravilhosas vindo por aí. Afinal, é sempre assim: quando se está na merda se afunda mais um pouquinho, e quando se chega no fundo os milagres acontecem. rs... E eu tô precisando muito de um milagre!

Boa segunda-feira pra vc.

Comentários

Rodrigo Fortes disse…
"Cada um tem seus milagres pra insistir"(Marcelo Yuka).
Quanto aos "livros-textos", estamos nos tornando pessoas tão apressadas que não temos mais a calma e a tranqüilidade de pegar um livro para se "auto-introspectar". Mas nada vai acabar com o poder de uma boa leitura e com a capacidade de abstração humana (pelos menos enquanto eu existir! rss). beijos
Rodrigo Fortes disse…
"Cada um tem seus milagres pra insistir"(Marcelo Yuka).
Quanto aos "livros-textos", estamos nos tornando pessoas tão apressadas que não temos mais a calma e a tranqüilidade de pegar um livro para se "auto-introspectar". Mas nada vai acabar com o poder de uma boa leitura e com a capacidade de abstração humana (pelos menos enquanto eu existir! rss). beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.