Marco Zero

Brasília, 10 de outubro de 2008. 00h56

Tenho 26 anos, mas já percebi que a vida se divide em capítulos. Acabo de perceber isso vendo fotos antigas. Os lugares, os cheiros, as músicas... Muitas coisas me remetem a fases que passei na vida, e que simplesmente se encerraram com os dias que se foram, com as páginas que retirei do calendário.

Pode ser a mudança de casa, o fim de um curso, ou de um relacionamento, ou a “ficha” que finalmente “caiu” e eu que a situação em que vivia já tinha passado da hora de acabar... Toda fase tem seu marco zero, e seu marco final. Hoje eu encerrei um capítulo da minha história (ou seria “estória”?) que nem devia ter começado a escrever. Mas isso também faz parte do aprendizado contínuo da vida. Errar faz parte da vida... E viver é algo mágico. Outro capítulo que está se encerrando é a minha graduação. Foi pesado e difícil, mas foi maravilhoso!

Fico encantada com fotografias! Hoje mesmo ressuscitei uma porção maravilhosa do meu trajeto. Quanto amor cabe numa fotografia? Eu respondo: muito! Não ressuscitei apenas lembranças de bons momentos... Vi que tem muita vida naqueles documentos digitais... rs...

Bem, entrei aqui pra contar o quanto é importante encerrar etapas da vida, e como é fundamental viver todas elas. Temos outras obrigações nessa vida: lutar pelo que se acredita, ser honesta com as pessoas, ouvir o que os outros tem pra falar; ter paciência; entender; ser tolerante... Tenho aprendido isso com meu marido.

Ontem, depois da aula, fui lanchar com o Paulo. Seria um lanche como outro qualquer se eu não tivesse ficado comovida ao ver a forma como ele lida com as pessoas. Me apaixonei perdidamente por ele, de novo! rs... Às vezes ele me dá lições silenciosas, e elas falam tão alto no meu coração. Aqui eu coloco um marco zero na nossa relação, e torno a sentir uma coisa doida de fé... uma coisa inexplicável que me renova. As pessoas são diferentes, amam de forma diferente, demonstram amor de forma diferente, e recomeçam de forma diferente. Preciso repetir isso todos os dias, cem vezes por dia, se necessário, para que eu me lembre todas as vezes que os problemas chegarem. Toda vez que o sol nasce temos a oportunidade de recomeçar. E eu não vou esperar até o dia nascer. Vou apagar o que der pra apagar, e reescrever a partir daqui.

Não espere até segunda-feira pra começar sua dieta, não espere o domingo pra pedir a benção aos seus pais, não espere a hora de dormir pra falar com Deus. Não espere. Viva o seu capítulo de hoje. Encerre já o que tem de ser encerrado. Não tenha vergonha. Recomece.

Um beijo! – 01h32


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.