Eu, monitora :)

Geeente, que semana difícil! Ainda é quarta-feira e eu já estou pedindo “arrego”, como se diz lá na minha terra.

Não é fácil ser monitora de disciplina na UnB quando a professora é a Shirley. Isso não é ruim, ao contrário. Tenho lido muitos textos de Arquivologia, alguns que, inclusive, não tive acesso durante o curso. Ou seja, é ótimo ser monitora dela, mas é muito pesado, porque a carga de leitura é muito grande, temos que ler em francês, espanhol, italiano, inglês e português (sim, temos que ser poliglotas heheheh), e a turma é difícil de administrar: tudo vira motivo pra polêmica, e eles estão desesperados com a quantidade de textos e atividades. Super desafio, né? Darei aula pra eles até dia 14 de outubro. Espero que Deus nos ajude, e que eu aprenda muito mais do que já estou aprendendo. Acho que vou sentir falta disso depois que eu formar...

Penso que existem dois grandes ganhos neste processo: o primeiro é a soma de conhecimentos que eu absorvo na leitura, na explicação dos textos, na resposta aos questionamentos; o segundo, e talvez o mais delicioso deles, é a possibilidade de interação com as pessoas. Só o fato de conhecer pessoas novas já é ótimo. Poder interagir com gente que pensa diferente, aprender com elas, ouvir e interpretar outros pontos de vista, visualizar outros mundos de realidades totalmente diferentes da minha realidade, da minha verdade, da minha coerência... Isso é maravilhoso demais. E não tem dinheiro que pague. Me sinto muito honrada em poder participar desta disciplina.



Bem, por enquanto é só.

Beijos.

Comentários

Leo disse…
Parabéns pela monitoria! Tudo que puder ser explorado daquilo que uma boa universidade oferece, especialmente fora do seu horário de aulas, é o maior ganho tanto para quando for usar no mercado de trabalho quanto para enriquecimento pessoal. Sem falar naquele prazer quando encontrar um seu ex-aluno nas esquinas da vida e ele lhe cumprimentar como: “ei professora”!

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminação sem gesso

Cortinas para a casa nova dos meus amigos Lai e Lu

Discurso que proferi na minha colação de grau do curso de Arquivologia, da UnB, dia 03 de fevereiro de 2009, em Brasília.